caso patrícia roberta

Laudo revela os detalhes sobre a causa da morte de Patrícia Roberta

Informações do documento informam como a jovem foi assassinada.

NE10 Interior NE10 Interior
NE10 Interior
NE10 Interior
Publicado em 04/06/2021 às 7:30
NOTÍCIA
Reprodução/Arquivo pessoal
FOTO: Reprodução/Arquivo pessoal
Leitura:

A causa da morte da jovem Patrícia Roberta, que morava em Caruaru, no Agreste de Pernambuco, e foi assassinada em João Pessoa, na Paraíba, foi descoberta após análise dos peritos do Instituto de Polícia Científica (IPC). O corpo da jovem foi encontrado no dia 27 de abril, em uma área de vegetação, na capital paraibana. 

De acordo com o documento, Patrícia, que tinha 22 anos, morreu por asfixia e foi esganada. "A vítima sofreu processo de asfixia por constrição cervical e esganadura", diz um trecho do laudo. A asfixia por constrição cervical ocorre através da compressão da região do pescoço, provocando a interrupção do fluxo de oxigênio e levando a vítima inicialmente à inconsciência e depois à morte. 

O resultado da perícia, que consta no laudo, foi entregue na última terça-feira (1º) à Delegacia de Homicídios, responsável por investigar o caso. O principal suspeito da morte da de Patrícia é Jonathan Henrique dos Santos, que está preso desde o dia 27 de abril. A ex-namorada dele, Ivyna Oliveira, foi indiciada por ocultação de cadáver.

Relembre o caso

De acordo com os familiares, Patrícia Roberta teria ido visitar um suposto amigo em João Pessoa, na Paraíba, na sexta-feira (23 de abril). Patrícia voltaria para Caruaru na segunda-feira (26 de abril) e mantinha contato com os familiares durante a estadia na capital paraibana. No entanto, no último domingo (25 de abril) a jovem desapareceu.

 Em entrevista ao NE10 Interior, a prima de Patrícia disse que na última semana a jovem havia falado com ela pedindo ajuda para comprar uma passagem de ônibus e informou à família que iria viajar para João Pessoa para encontrar um amigo, que teria estudado com ela no colégio em Caruaru, quando era mais nova.

A jovem pernambucana saiu em direção a João Pessoa por volta das 17h da sexta-feira (23). Ao chegar na cidade, a jovem avisou à família que havia chegado e mandou fotos. No sábado (24), ela enviou uma foto em que aparecia o prédio onde supostamente ela estava hospedada. No domingo (25), Patrícia parou de responder às mensagens dos familiares.

Depois que os familiares perderam o contato com Patrícia no último domingo (25), a jovem foi dada como desaparecida pela família. A policia realizou buscas e encontrou o corpo dela em um terreno da capital paraibana em avançado estado de putrefação.

Sobre a prisão do suspeito

De acordo com a PM, o suspeito, de 23 anos, foi encontrado no final da noite da terça-feira (27). Inicialmente o amigo dele foi localizado e reconhecido por populares. Ele estava com uma moto e um caderno com anotações que teriam sido enviadas a ele pelo próprio suspeito. A polícia resolveu acompanhá-lo até a residência dele e, no local, o suspeito foi encontrado deitado em um colchão.

Na casa, a PM encontrou a motocicleta que pode ter sido usada pelo suspeito para transportar o corpo da vítima durante a madrugada da terça-feira. O suspeito foi levado para a Central de Polícia, juntamente com o amigo, que já havia sido detido mais cedo e liberado na delegacia.

*Com informações do portal T5

Mais Lidas