luto

Morre com Covid-19 pesquisador Fábio Hazin, que ajudou a desvendar mistérios dos ataques de tubarão em PE

Fábio estava internado desde a última semana e chegou a ser intubado com a doença.

Eduarda Cabral
Eduarda Cabral
Publicado em 07/06/2021 às 12:20
NOTÍCIA
Acervo/JC Imagem
FOTO: Acervo/JC Imagem
Leitura:

Nesta segunda-feira (7), morreu o engenheiro de pesca Fábio Hazin, que era professor da Universidade Federal rural de Pernambuco (UFRPE). A informação da morte cerebral foi confirmada através de um comunicado da assessoria de imprensa da UFRPE.

Fábio estava internado em um hospital particular do Recife com Covid-19. Com o agravamento da doença, ele precisou ser intubado e chegou a fazer sessões de hemodiálise, mas não resistiu às complicações provocadas pela infecção do coronavírus.

"Fábio Hazin foi internado com dificuldades decorrentes da Covid-19, segundo familiares, na última terça-feira (1º), no Hospitall Português, e não resistiu, tendo morte cerebral confirmada na manhã desta segunda (7), diz a nota divulgada pela assessoria da UFRPE.

Em virtude do falecimento do pesquisador, a UFRPE decretou três dias de luto oficial e "expressa solidariedade a familiares e amigos" de Fábio. 

Quem era Fábio Hazin?

O professor Fábio Hazin era engenheiro de pesca e foi uma importante liderança científica no combate aos ataques de tubarão em Pernambuco. Era mestre e doutor pela Universidade de Tóquio, com pós-doutorado em Avaliação de Estoques de Recursos Pesqueiros Pelágicos Migratórios, no Southeast Fisheries Science Center, em Miami (EUA). Também tinha especialização em direito internacional do mar pela Rhodes Academy.

Fábio atuava como professor titular da UFRPE no curso de engenharia de pesca e no Programa de Pós-graduação em Recursos Pesqueiros e Agricultura. Ele também era docente do Programa de Pós-graduação em Oceanografia da UFPE. Atualmente, ele estava como coordenador-geral do Programa Arquipélago de São Pedro e São Paulo.

Entre os anos de 1995 e 2005, foi coordenador do Revizee, que era o Programa para a Avaliação dos Recursos Vivos na Zona Econômica exclusiva Brasileira no Nordeste. Entre 2004 e 2012, foi presidente do Comitê Estadual de Monitoramento de Incidentes com Tubarões (Cemit) e diretor do Departamento de Pesca e Agricultura da UFRPE.

De 2007 a 2011 foi presidente da Comissão Internacional para a Conservação do Atum Atlântico (ICCAT) e a Associação Brasileira de Engenharia de Pesca. Já em 2015, foi Secretário Nacional de Pesca do Ministério da Pesca e Aquicultura e foi ministro interino da pasta de Pesca e Aquicultura do Estado.

Mais Lidas