menu

Israel é o primeiro país no mundo a proibir o comércio de peles de animais

Comércio será proibido com exceções para pesquisa, ensino e algumas tradições religiosas.

Israel
Israel é o primeiro país no mundo a proibir o comércio de peles de animais (Reprodução)

Por meio de um decreto do Ministério do Meio Ambiente, Israel baniu o comércio de peles de animais para moda, nesta quarta-feira (9). Com a determinação, o território se tornou o primeiro país a proibir esse tipo de comércio. A medida entrará em vigor em seis meses.

No entanto, a decisão possui algumas exceções, de acordo com o Ministério do Meio Ambiente do país. "O comércio de peles, importação e exportação, será proibido, exceto quando for feito para pesquisa, ensino e algumas tradições religiosas", informou o ministério em um comunicado.

Sendo assim, peles de animais poderão continuar sendo utilizadas na confecção do "Schtreimel", chapéu usado por alguns judeus ultraortodoxos. "A indústria do comércio de peles causa sofrimentos inimagináveis aos animais e este decreto vai transformar o mercado da moda israelense, aprimorando-o no campo do respeito" à natureza, disse em comunicado Gila Gamliel, ministra do Meio Ambiente. 

A instituição também publicou uma carta enviada por Jane Halevy-Moreno, diretora da Coalizão Internacional Antipeles (IAFC, por sua sigla em inglês), na qual ela comemorava o decreto e o qualificava como um "gesto histórico".

Proibição desde 1976

Em 1976, Israel proibiu a criação de animais para extração de peles. Vários países baniram parcialmente o comércio deste material, especialmente quando se trata de espécies ameaçadas de extinção, como focas.

Até agora, a proibição total só se aplica a algumas cidades, como São Paulo, no Brasil, ou no estado da Califórnia. Na Índia, regulamentações semelhantes foram impostas em nível nacional, mas apenas para pele de vison, raposa e chinchila. 

*Com informações do UOL