investigação

Perícia revela que Amanda Wanessa dirigia a 130 km/h no momento do acidente

Detalhes do inquérito já haviam apontado que a cantora provocou o próprio acidente.

NE10 Interior NE10 Interior
NE10 Interior
NE10 Interior
Publicado em 09/06/2021 às 8:55
NOTÍCIA
Reprodução: Internet
FOTO: Reprodução: Internet
Leitura:

O resultado de uma perícia solicitada pela Polícia Civil revelou a velocidade do veículo que era conduzido pela cantora gospel Amanda Wanessa no momento do seu acidente, no dia 4 de janeiro na na PE-60, em Rio Formoso, na Zona da Mata Sul de Pernambuco. De acordo com o documento, Amanda dirigia a uma velocidade de 130 km/h.

O laudo está anexado ao processo sobre a colisão, que foi arquivado pela Justiça no final do mês de maio. Uma descrição assinada pelo juiz Raphael Calixto Brasil, que investiga o caso, consta que "o evento (colisão) ocorreu em tese por culpa exclusiva da vítima".

Este mesmo documento afirma que "foi a vítima quem perdeu o controle do veículo que dirigia (Honda, modelo Fit), colidindo com o caminhão marca Volkswagen. Além do mais, a perícia constatou que a mesma estava em alta velocidade (aproximadamente 130km/h) no momento da colisão". 

O processo sobre o caso foi arquivado a pedido do Ministério Público de Pernambuco (MPPE), por ter entendido que "não houve conduta criminosa por parte da cantora".

Cauda do acidente

Um inquérito divulgado no dia 13 de maio pela Polícia Civil diz que, após as investigações, “foi constatado que a vítima deu causa ao acidente". Ainda de acordo com o comunicado, o inquérito foi concluído “sem indiciamentos”. A conclusão da polícia é diferente da versão apresentada pela família da artista na época do acidente. 

Após o acidente, os parentes da cantora informaram. Segundo os familiares, Amanda Wanessa dirigia o carro e estava acompanhada do pai, da filha Mel e da amiga Juciara Pimentel. Ainda de acordo com os parentes, o veículo estava na PE-60 quando um caminhão de tijolos teria invadido a faixa contrária, colidindo com o veículo em que Amanda e as outras três pessoas estavam.

*Com informações de Raphael Guerra, do Jornal do Commercio

Mais Lidas