Buscas

Homem é preso após se passar por policial federal para procurar por Lázaro, "serial killer de Brasília"

Criminoso dizia que estava com uma equipe e abordava policiais pedindo ajuda

NE10 Interior NE10 Interior
NE10 Interior
NE10 Interior
Publicado em 20/06/2021 às 12:28
NOTÍCIA
 Divulgação/Secretaria de Segurança Pública de Goiás
FOTO: Divulgação/Secretaria de Segurança Pública de Goiás
Leitura:

Na noite do sábado (19), um homem de 23 anos foi preso após se passar por policial federal para participar das buscas por Lázaro Barbosa, o "serial killer de Brasília". Ele foi preso em Cocalzinho, Goiás, por por uma equipe conjunta formada pela Polícia Militar de Goiás, Polícia Rodoviária Federal e Polícia Federal. 

Segundo a polícia, o homem abordou equipes na rodovia, dizendo que precisava se juntar a sua equipe que estava mais à frente. Cerca de 40 minutos depois, o suspeito retornou abordando as equipes e disse que precisava de apoio para desarmar um sujeito bêbado em uma propriedade rural.

Quando a equipe voltou para o ponto de apoio da Operação Lázaro, os policiais militares foram informados pela Polícia Rodoviária Federal que o homem não era policial. Ele foi preso em flagrante e levado para a delegacia. A Polícia vai investigar o caso. 

Lázaro foi preso? 

Já fazem 12 dias que Lázaro Barbosa, o "serial killer de Brasília", está fugindo da polícia no Distrito Federal. O homem já causou a morte de quatro pessoas da mesma família, realizou sequestros, invasões a propriedades rurais, roubou carros e tem assustado a população do DF e de Goiás.

 Mais de 300 homens da polícia do DF e de Goiás, helicópteros, cães farejadores e até homens da Força Nacional estão à caça de Lázaro, que é o homem mais procurado no Brasil. Em uma entrevista dada no sábado (19), o secretário de Segurança Pública de Goiás (GO), Rodney Miranda, disse que esperava que até o fim do dia Lázaro Barbosa seja capturado. No entanto o homem continua a solta.

Linha do tempo da fuga de Lázaro Barbosa

Dia 1 - Na quarta-feira (9), ele cometeu o assassinato de uma família em Ceilândia.

Dia 2 - Na manhã do dia seguinte, quinta-feira (10), o homem invadiu uma casa que fica a 3 km do local onde o caso aconteceu. De acordo com o Correio Braziliense, ele fez a proprietária da chácara, Sílvia Campos, de 40 anos, e o caseiro, identificado como Anderson, de 18 anos, de refém por 3 horas. No local, ele ainda teria obrigado os dois a fumarem maconha. Antes de fugir, roubou R$ 200, uma jaqueta, celulares e carregador.

Dia 3 - No terceiro dia de fuga, Lázaro fez mais um refém e roubou um carro em Ceilândia. Com o veículo, ele se dirigiu a Cocalzinho, em Goiás, onde abandonou e incendiou o carro. As investigações apontam que lá, ele se encontrou com um comparsa, que o ofereceu suporte.

Dia 4 - No sábado (12), ele teria feito o caseiro de uma chácara, próxima à Lagoa Samuel, de refém e passou a tarde bebendo e se divertindo em uma chácara. O serial killer também o obrigou a fumar maconha. Antes de fugir novamente, Lázaro destruiu o carro da vítima. Após deixar essa casa, ele foi para outra chácara, onde baleou três homens e roubou duas armas de fogo.

Dia 5 - Na tarde do domingo (13), o foragido furtou um outro carro, também em Cocalzinho (GO), e abandonou o veículo, após avistar um ponto de bloqueio montado pela polícia.

Dia 6 - Na segunda-feira (14), Lázaro foi visto no curral de uma fazenda entre os distritos de Edelândia e Girassol. A polícia acredita que ele passou a noite no local. Segundo o caseiro da fazenda, o homem pediu comida e em seguida fugiu para a mata.

 Dia 7 - Na terça-feira (15), após ser cercado por policiais, ele atirou contra um deles e o deixou ferido no rosto. No momento do tiroteio, ele fazia três pessoas reféns, um casal e a filha de 16 anos. Apesar da presença da polícia, Lázaro conseguiu fugir. As investigações policiais continuam e podem apontar para outros delitos.

Dia 8 - Na quarta (16), durante a madrugada, Lázaro invadiu uma fazenda, preparou comida e fugiu novamente. A propriedade rural fica localizada a cerca de 8 km de distância da cidade de Edilândia, em Goiás, onde ele foi visto na terça-feira (15).

Dia 9 - Na quinta-feira (17), na madrugada a polícia seguiu à procura dele, no povoado de Girassol, em Goiás. Ele conseguiu escapar de uma força-tarefa formada por mais de 200 policiais. As equipes policiais fizeram buscas durante toda a madrugada. A Polícia Militar de Goiás chegou à zona rural de Cocalzinho de Goiás, que fica a 120 quilômetros de Brasília, para reforçar as buscas. Drones da Receita Federal e até um helicóptero foi usado para tentar encontra-lo.

Dia 10 - O secretário de Segurança Pública de Goiás, Rodney Miranda, disse na noite da sexta-feira (18) que acredita ter avistado Lázaro Barbosa, 32 anos, em um vale. À tarde, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) tinha dito que ele esteve em um chiqueiro e fugiu novamente em meio à vegetação.

Dia 11 - Ainda na sexta-feira (18), uma moradora deu uma pista sobre onde ele estaria se escondendo. No sábado (19), policiais montaram um cerco para prender o "serial killer de Brasília", mas até este domingo (20) ele ainda não foi encontrado. 

*Com informações do portal Metrópole 

Mais Lidas