Inverno

São Paulo registra madrugada mais fria em cinco anos e sete moradores de rua morrem

A causa da morte ainda não foi confirmada, mas a suspeita é que moradores tenham morrido de frio

NE10 Interior NE10 Interior
NE10 Interior
NE10 Interior
Publicado em 30/06/2021 às 15:59
NOTÍCIA
Reprodução/Pixabay
FOTO: Reprodução/Pixabay
Leitura:

Os termômetros de São Paulo registraram a madrugada mais fria dos últimos cinco anos entre a terça-feira e quarta-feira (30). Após a temperatura chegar até 6º, o Movimento Estadual dos Moradores em Situação de Rua afirmou que sete moradores de rua morreram na cidade de São Paulo. 

De acordo com o movimento, três dos moradores estavam na Praça da Sé, um na Baixada do Glicério, um próximo ao Metrô Tiradentes, na região central da cidade, e dois na Barra Funda, na Zona Oeste.
Ao G1, a Prefeitura disse que não atestou as mortes, já que só o Serviço de Verificação de Óbitos (SVO), da USP, ou o Instituto Médico Legal podem determinar a causa.

O Padre Júlio Lancelotti, coordenador da Pastoral do Povo de Rua, disse que a polícia está investigando a morte de um morador de rua, que foi encontrado morto na região da Sé, sem sinais de violência, na madrugada desta quarta. De acordo com o padre, embora o laudo médico não constasse sinais de hipotermia, havia outras doenças que podem levar a morte em função do frio, como pneumonia e parada-cardíaca.

Mortes com o frio 

Essa não é a primeira vez que moradores de rua morrem em decorrência do frio. 
Em 2020, uma moradora de rua foi encontrada morta na Praça da Sé após a madrugada mais fria do ano passado. Em 2019, dois moradores de rua também morreram em uma madrugada de frio e chuva.

*Com informações do G1 

Mais Lidas