agreste

Mulher trans é morta a facadas no Agreste de Pernambuco e suspeito é linchado

Fabiana tinha 30 anos de idade. Este é o terceiro crime de morte de transexual no intervalo de um mês em Pernambuco.

NE10 Interior NE10 Interior
NE10 Interior
NE10 Interior
Publicado em 07/07/2021 às 11:10
NOTÍCIA
Reprodução
FOTO: Reprodução
Leitura:

Uma mulher trans foi morta a facadas na madrugada desta quarta-feira (7) na cidade de Santa Cruz do Capibaribe, no Agreste de Pernambuco. Fabiana, de 30 anos, foi assassinada no bairro de Cruz Alta, nas margens da rodovia PE-160. O suspeito de cometer o crime foi linchado pela população.

Fabiana é a terceira mulher transexual morta em Pernambuco no intervalo de um mês. De acordo com a delegada Erica Feitosa, que investiga o caso, a vítima morava na localidade, era “tranquila” e “não se envolvia em confusão”. Ela estaria em um bar com um grupo de pessoas e teria perguntado onde era o banheiro. Ao se dirigir até o local, Fabiana foi abordada e esfaqueada em várias partes do corpo. 

"Foram muitos golpes de faca, inclusive bastante profundos. Inclusive, o pescoço todo. Então, a vítima não tinha nenhuma possibilidade de defesa", afirmou a delegada. "As pessoas relatam que Fabiana não se envolvia em confusão, não mexia com ninguém. Enquanto o autor, não era uma pessoa comumente vista na comunidade", acrescentou.

De acordo com a polícia, testemunhas ouviram gritos de Fabiana e chegaram a localizar um suspeito, de 22 anos, que foi linchado pela população. Ele foi levado ao Hospital da Restauração, no Recife, e está sob custódia. Ainda não se sabe qual teria sido a motivação do crime.

Outros casos em Pernambuco

No último mês, Pernambuco registrou outras duas mortes de mulheres transexuais. Uma delas foi Kalyndra Nogueira da Hora, morta dentro de casa. O crime tem como principal suspeito o companheiro da vítima. Na última segunda-feira (5), a cabeleireira Crismilly Pérola Bombom, de 37 anos, foi encontrada morta no Recife com um tiro na nuca.

Além destes casos, no fim do mês de junho Roberta Silva, de 33 anos, foi atacada no centro do Recife e teve 40% do corpo queimado. Por causa dos ferimentos, ela teve que amputar os dois braços e está entubada na UTI do Hospital da Restauração. O estado de saúde é considerado grave.

Mais Lidas