menu

China confirma morte por 'Vírus do Macaco'; doença rara não tem registro de transmissão humana

Há registro de pelo menos 100 casos detectados entre humanos.

O vírus do herpes B pode ser mortal quando transmitido para os humanos
O 'Vírus do Macaco' foi confirmado na China (Wikipedia/Frans de Waal)

China registrou a morte de um médico veterinário de Pequim com uma doença rara conhecida como 'Vírus do Macaco'. De acordo com o Washington Post, em publicação na última segunda-feira (19), a morte foi confirmada por meio de um relatório divulgado no sábado (17).

A morte ocorreu no dia 27 de maio e é considerado o primeiro óbito no país causado pela doença. A vítima sentiu dores, náuseas e vômitos em abril, um mês depois de dissecar macacos mortos.

Não há registro de transmissão humana da doença e as pessoas que tiveram contato com a vítima tiveram diagnóstico negativo para esse vírus.

O que é o 'Vírus do Macaco'?

O Vírus do Macaco, ou vírus herpes B, é comum entre estes mamíferos. No entanto, é raro entre os humanos. Ele provoca um grave acometimento do paciente, com inflamação no cérebro. Sua letalidade pode chegar a até 80% de acordo com o Washington Post

No entanto, a doença é bastante rara. Desde 1932, foram registrados cerca de 100 casos e nenhum deles foi por transmissão comunitária. Em geral, as vítimas são veterinários ou pesquisadores que lidam com primatas. Especialistas ouvidos pelo jornal norte-americano destacaram que o vírus dificilmente saltaria para o ser humano de modo a permitir a transmissão entre pessoas, ao contrário do que aconteceu com o coronavírus.

*Com informações do G1