menu

Saiba o que é, como funciona e quando começa o Open Banking no Brasil

Na tradução literal “banco aberto” ou “sistema bancário aberto”


Suspeito entra em contato com vítimas para aplicar golpe
Na tradução literal “banco aberto” ou “sistema bancário aberto”. (Foto: Pixabay)

Com a inovação, modernização e simplificação entre bancos e clientes, a cada dia chegam novas plataformas e infraestruturas no sistema financeiro. Para aumentar a eficiência do sistema financeiro, está sendo implantado o Open Banking no Brasil.

Como pioneiro, o Reino Unido adotou em 2018 o regime regulatório. Seguido da Coreia do Sul e Singapura. No Brasil a implementação tem o objetivo de trazer um ambiente mais inclusivo e sem colocar em risco a segurança e proteção dos consumidores.

O que é Open Banking?

Na tradução literal, significa “banco aberto” ou “sistema bancário aberto”. O Open Banking é um sistema que permite que o cliente de um banco, tenha a liberdade de pegar seu histórico financeiro e escolher quais instituições podem ter acesso a esses dados. A portabilidade dos dados de maneira facilitada. Na prática é levar os dados pessoais , como salários depositados, perfil de gastos e etc, para que possam ser compartilhados de maneira mais fácil.

É seguro?

O sistema já existe e funciona bem em outros países do mundo, como Austrália e toda Europa. No Brasil será regulado pelo Banco Central e terá múltiplas verificações de segurança. Só poderão participar apenas instituições financeiras reguladas pelo BC. Será necessária uma interface padronizada para que seja mais seguro o envio e recebimento de dados dos clientes. 

Além da APIs (interface de programação de aplicações) e outras camadas de segurança digital para assegurar a segurança dos dados. Com isso, a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) também entra como outro modo de segurança para os clientes, pois todas as empresas precisam segui-la para garantir que o cliente tenha o total controle no gerenciamento dos dados compartilhados. 

Como vai funcionar? 

O cliente só terá os dados compartilhados com as instituições que autorizar e por até 12 meses, como os dados cadastrais (como os usados para abrir uma conta, CPF, RG, endereço e telefone), transacionais (como renda, cartões de crédito e movimentações de conta corrente) e os serviços já cadastrados (como empréstimos) que podem ser consultados. Como os dados pertencem ao cliente, pode pedir revogação do compartilhamento a qualquer momento.

Será cobrado algo? 

É totalmente gratuito. O Banco Central proíbe que qualquer instituição cobre taxas dos clientes para utilizar o sistema. 

Quando começa no Brasil? 

No Brasil o Open Banking irá passar por 4 fases antes de começar a funcionar, no momento está na fase 2. O Banco Central optou por essa divisão para facilitar a implantação. A primeira fase começou em fevereiro para as instituições financeiras e bancos. Confira as próximas fases: 

  • 2º Fase: 13/08 - Onde os clientes poderão compartilhar os dados pessoais de cadastro e também os dados de transações que correspondem aos produtos e serviços de suas contas. Mas apenas com a autorização do cliente que os dados podem ser compartilhados. 
  • 3ª Fase: 30/08 – As instituições estarão aptas a enviar propostas de operações de crédito e pagamentos. Assim o cliente ganha novas opções e maior acesso ao sistema financeiro, como propostas de crédito por aplicativo de mensagem. 
  • 4ª Fase: 15/12 – Começa a valer para outros produtos e serviços, como informações de operação de câmbio, seguros, previdência e investimentos. 

*Com informações da Jovem Pan e Nubank. 

Veja vídeo para entender na prática; 

;