Economia

Saiba o que é, como funciona e quando começa o Open Banking no Brasil

Na tradução literal “banco aberto” ou “sistema bancário aberto”

Bruna Padilha
Bruna Padilha
Publicado em 04/08/2021 às 17:50
NOTÍCIA
Foto: Pixabay
FOTO: Foto: Pixabay
Leitura:

Com a inovação, modernização e simplificação entre bancos e clientes, a cada dia chegam novas plataformas e infraestruturas no sistema financeiro. Para aumentar a eficiência do sistema financeiro, está sendo implantado o Open Banking no Brasil.

Como pioneiro, o Reino Unido adotou em 2018 o regime regulatório. Seguido da Coreia do Sul e Singapura. No Brasil a implementação tem o objetivo de trazer um ambiente mais inclusivo e sem colocar em risco a segurança e proteção dos consumidores.

O que é Open Banking?

Na tradução literal, significa “banco aberto” ou “sistema bancário aberto”. O Open Banking é um sistema que permite que o cliente de um banco, tenha a liberdade de pegar seu histórico financeiro e escolher quais instituições podem ter acesso a esses dados. A portabilidade dos dados de maneira facilitada. Na prática é levar os dados pessoais , como salários depositados, perfil de gastos e etc, para que possam ser compartilhados de maneira mais fácil.

É seguro?

O sistema já existe e funciona bem em outros países do mundo, como Austrália e toda Europa. No Brasil será regulado pelo Banco Central e terá múltiplas verificações de segurança. Só poderão participar apenas instituições financeiras reguladas pelo BC. Será necessária uma interface padronizada para que seja mais seguro o envio e recebimento de dados dos clientes. 

Além da APIs (interface de programação de aplicações) e outras camadas de segurança digital para assegurar a segurança dos dados. Com isso, a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) também entra como outro modo de segurança para os clientes, pois todas as empresas precisam segui-la para garantir que o cliente tenha o total controle no gerenciamento dos dados compartilhados. 

Como vai funcionar? 

O cliente só terá os dados compartilhados com as instituições que autorizar e por até 12 meses, como os dados cadastrais (como os usados para abrir uma conta, CPF, RG, endereço e telefone), transacionais (como renda, cartões de crédito e movimentações de conta corrente) e os serviços já cadastrados (como empréstimos) que podem ser consultados. Como os dados pertencem ao cliente, pode pedir revogação do compartilhamento a qualquer momento.

Será cobrado algo? 

É totalmente gratuito. O Banco Central proíbe que qualquer instituição cobre taxas dos clientes para utilizar o sistema. 

Quando começa no Brasil? 

No Brasil o Open Banking irá passar por 4 fases antes de começar a funcionar, no momento está na fase 2. O Banco Central optou por essa divisão para facilitar a implantação. A primeira fase começou em fevereiro para as instituições financeiras e bancos. Confira as próximas fases: 

  • 2º Fase: 13/08 - Onde os clientes poderão compartilhar os dados pessoais de cadastro e também os dados de transações que correspondem aos produtos e serviços de suas contas. Mas apenas com a autorização do cliente que os dados podem ser compartilhados. 
  • 3ª Fase: 30/08 – As instituições estarão aptas a enviar propostas de operações de crédito e pagamentos. Assim o cliente ganha novas opções e maior acesso ao sistema financeiro, como propostas de crédito por aplicativo de mensagem. 
  • 4ª Fase: 15/12 – Começa a valer para outros produtos e serviços, como informações de operação de câmbio, seguros, previdência e investimentos. 

*Com informações da Jovem Pan e Nubank. 

Veja vídeo para entender na prática; 

Mais Lidas