crime

Idosa descobre que foi vítima de golpe depois de receber PIX de R$ 24 mil em sua conta

A professora sofreu o golpe após passar informações a uma suposta funcionária do banco.

Eduarda Cabral
Eduarda Cabral
Publicado em 09/08/2021 às 9:20
NOTÍCIA
Marcello Casal Jr./ABr
FOTO: Marcello Casal Jr./ABr
Leitura:

Uma professora idosa de 78 anos descobriu que foi vítima de um golpe depois de repassar informações por telefone para uma suposta atendente de banco na cidade de Santos, em São Paulo. A aposentada só descobriu o que aconteceu depois que viu um PIX no valor de R$ 24 mil creditado no seu nome. 

Depois de ver a transferência, ela descobriu ainda que havia empréstimos, limite do cartão estourado e cheque especial feitos em seu nome. "Estou inconformada. Tenho 78 anos, nessa idade, uso computador, vou ao banco sozinha, foi um grande progresso. Mas não tenho, evidentemente, o mesmo raciocínio que tem um jovem. Nunca caí em um golpe, mas esse foi muito bem elaborado", contou Inazeli Azevedo Nóbrega e Silva ao G1.

A idosa denunciou o caso à Polícia Civil. Em entrevista, ela contou que o golpe começou no fim de julho, quando ela recebeu o contato da suposta funcionária do banco. A mulher entrou em contato com o filho dela, informando que haviam tentado acessar a conta da aposentada. A suspeita sabia que o filho poderia fazer os procedimentos e mudar a senha da conta, mas o filho preferiu comunicar a mãe sobre o caso. Pouco depois, a suposta funcionária entrou em contato diretamente com a idosa.

Na ligação, a mulher contou que teriam tentado invadir a conta da professora e que era necessário que ela mudasse a sua senha. Sob orientação da mulher, a idosa foi até um caixa eletrônico, mas não conseguiu fazer a alteração. Foi então que Inazeli foi a uma agência bancária, onde explicou o ocorrido a uma atendente, que estranhou o caso. Foi então que no próprio banco verificaram uma tentativa de invasão da conta da idosa no dia 17 de julho. 

Como forma de se prevenir, a idosa mudou as senhas e registrou a biometria sob orientação da atendente da ligação e voltou a receber uma chamada dela após deixar a agência. "Ela disse 'você não fez o módulo de segurança, tem que fazer, porque a conta continua vulnerável'", explicou. A professora voltou então ao banco para ativar o que seria o chamado "módulo de segurança" apertando alguns botões. Foi então que, pouco tempo depois, a mulher informou que estava tudo certo.

Logo quando saiu do banco a idosa tentou efetuar um pagamento com cartão de débito em uma farmácia mas não conseguiu. Ao chegar em casa, ela abriu o aplicativo do banco e viu uma transferência via PIX em seu nome, no valor de R$ 24.700. Ela também descobriu que foram usados um cheque especial, empréstimos e todo o limite do cartão.

"Como ainda não recebi a fatura do cartão, e só os títulos davam mais de R$ 6 mil, acredito que o prejuízo esteja entre R$ 55 mil e R$ 60 mil", relata. A professora acredita que as informações dadas pela suposta funcionária eram, na verdade, uma maneira de permitir o acesso à sua conta.

Investigação

Inazeli fez um pedido de contestação, que foi negado pelo banco. Foi então que realizou um segundo pedido e aguarda o posicionamento. Ela também registrou um boletim de ocorrência no 3º Distrito Policial de Santos como estelionato. O caso será investigado.

"Eu estou sem dinheiro absolutamente nenhum, super nervosa. Todos os meus planos fracassaram. Eu não tenho disposição para sair de casa, não me conformo. Eu estou, assim, tentando não entrar em um período depressivo, porque o baque foi muito grande", descreve a idosa.

*Com informações do G1

Mais Lidas