política

Marília Arraes propõe benefício de até R$ 300 para trabalhadores rurais do Brasil

O projeto é inspirado no Programa Chapéu de Palha, criado Miguel Arraes em Pernambuco.

Eduarda Cabral
Eduarda Cabral
Publicado em 13/08/2021 às 12:40
NOTÍCIA
Foto: Felipe Ribeiro/JC Imagem
FOTO: Foto: Felipe Ribeiro/JC Imagem
Leitura:

A deputada federal Marília Arraes (PT) apresentou na Câmara dos Deputados o Programa Chapéu de Palha Nacional, inspirado no programa pernambucano criado pelo ex-governador de Pernambuco, Miguel Arraes, que morreu há 16 anos.

A proposição da deputada é uma homenagem a Arraes, que faleceu no dia 13 de agosto de 2005. O programa criado pelo político era voltado para trabalhadores rurais do estado, a partir da década de 1980. A proposta de Marília é de reformular o Chapéu de Palha e ampliá-lo para o território nacional.

Com o projeto, a deputada pretende oferecer benefício de até R$ 300 por família cadastrada, além de oferecer cursos de alfabetização e de capacitação nas áreas de saúde preventiva, meio ambiente, geração de renda, economia familiar e reforço alimentar.

Além dos trabalhadores rurais, o projeto contempla também agricultores familiares, pescadores artesanais, marisqueiros, trabalhadores da cana-de-açúcar e da fruticultura irrigada. A proposta ainda deverá tramitar na Câmara dos Deputados.

"É fundamental destacar o sucesso de políticas como o Chapéu de Palha aqui em Pernambuco e seus resultados econômicos e sociais, como a valorização da educação. Estender esse programa para combater os efeitos do desemprego, sazonal ou não, aos trabalhadores espalhados pelo país é essencial para aumentar as estratégias de combate à pobreza extrema", afirma Marília.

"É reconhecendo a necessidade de aumentar as estratégia de combate à pobreza que pretendemos instituir o Programa Chapéu de Palha Nacional. É também uma forma de homenagear o sucesso do programa iniciado pelo ex-governador Miguel Arraes aqui em Pernambuco", frisa a deputada do PT.

Homenagem 

Miguel Arraes governador de Pernambuco por três vezes, entre 1963 e 1964, de 1987 a 1990 e de 1995 a 1999. O primeiro mandato foi encerrado no dia 2 de abril de 1964, quando ele foi preso pela Ditadura Militar, um dia depois do golpe. 

"Arraes sempre será lembrado pelo seu trabalho, exemplo e trajetória em defesa do nosso Estado, da Democracia, dos direitos de nosso povo e da luta por justiça social. Ele inspirou o início da minha militância política, por isso toda as minhas decisões são pautadas na responsabilidade de seguir os seus passos de coerência. Minha maior homenagem para ele é continuar a sua luta de justiça e transformação social", disse Marília Arraes.

*Com informações do Blog de Jamildo

Mais Lidas