Tóquio 2020

Fazendo história: Atletas brasileiras conquistam ouros inéditos no judô e no halterofilismo nas paralímpiadas

Alana Maldonado e Mariana D'Andrea conquistaram o ouro neste domingo (29)

Bruna Padilha
Bruna Padilha
Publicado em 29/08/2021 às 14:09
NOTÍCIA
Fotos: Takuma Matsushita/Mikihito Matsui/CPB
FOTO: Fotos: Takuma Matsushita/Mikihito Matsui/CPB
Leitura:

Duas atletas do Brasil fizeram história neste domingo(29), a judoca Alana Maldonado que conquistou a medalha de ouro contra a georgiana Ina Kaldan, na final da categoria até 70kg. E a paulista Mariana D'Andrea, de 23 anos, que conquistou a primeira medalha de ouro brasileira no halterofilismo na história dos Jogos Paralímpicos.

Além de ser a primeira mulher brasileira da modalidade a subir no lugar mais alto do pódio em uma edição de Jogos Paralímpicos, Alana também já havia sido a primeira brasileira campeã mundial de judô, em 2018. 

Também no judô, outra brasileira, a Meg Emmerich conquistou a medalha de bronze, derrotando Altantsetseg Nyamaa, da Mongólia. 

A atleta, Mariana conquistou a primeira medalha de ouro no halterofilismo, na categoria até 73kg e levantou 137 quilos. Deixando a chinesa Lili Xu com a prata, pois levantou 134 quilos. Além desse ouro, o Brasil tem outra medalha no halterofilismo paralímpico: a prata de Evânio Rodrigues da Silva nos Jogos Paralímpicos Rio 2016.

Quadro de medalhas

O Brasil segue em sexto no quadro de medalhas das paralímpiadas, com dez medalhas de ouro, cinco medalhas de prata e quinze de bronze. O país já conquistou 330 medalhas na história dos Jogos Paralímpicos. Além disso, o país chegou à 96ª medalha de ouro - faltando quatro para a 100ª. Ainda são 117 de prata e 117 de bronze.

 

Mais Lidas