Futuro

Metaverso: entenda o que é o universo que inspira novo nome do Facebook

Experiência une o mundo físico a elementos da realidade virtual

Lyllyan Belo
Lyllyan Belo
Publicado em 29/10/2021 às 11:14
Notícia
Reprodução
Universo digital explicado por Mark Zuckerberg - FOTO: Reprodução
Leitura:

A empresa Facebook anunciou nesta quinta-feira (28) que passará por uma transição e mudará de nome para Meta. O presidente-executivo da companhia, Mark Zuckerberg, fez o anúncio durante o festival Connect 2021, a conferência de realidade aumentada e virtual transmitida ao vivo da empresa. Zuckerberg disse que o novo nome reflete seu foco na construção do metaverso.

..

De acordo com Mark Zuckerberg, a mudança é para representar o novo momento da empresa, que está focada em construir em uma visão de futuro, com o metaverso, universo digital explicado por ele na conferência.

Além da mudança de nome, a empresa, dona de redes sociais como Facebook, Instagram e Whatsapp, divulgou que fará um investimento de US$ 50 milhões para construir o metaverso.

A nova plataforma, que já está em desenvolvimento, funcionará de forma híbrida, e promete expandir as experiências em três dimensões através das tecnologias de Realidade Aumentada (RA) e Realidade Virtual (RV).

O que é o Metaverso?

Mas o que muitos se perguntaram após o anúncio é: “mas o que é metaverso?”

O termo surgiu pela primeira vez em “Snow Crash”, um livro de ficção científica, de 1992, escrito por Neal Stephenson. No livro, um mundo virtual 3D era habitado por avatares de pessoas reais.

“No metaverso, você será capaz de fazer quase tudo o que imaginar – ficar junto de amigos e familiares, trabalhar, aprender, jogar, comprar, criar – assim como viver experiências completamente novas que não se encaixam em como pensamos computadores ou telefones hoje.”, disse Zuckerberg na conferência.

Nesse universo, os elementos digitais e o mundo físico se unem. Essas experiências podem ser vivenciadas a partir de diferentes dispositivos, como óculos de realidade aumentada, telefones e computadores. “Você pode pensar no metaverso como uma internet materializada, onde em vez de apenas visualizar o conteúdo, você está nele”, contou o criador do Facebook.

Os dispositivos atuais ainda não são o suficiente para que a ideia do Metaverso funcione, mas a empresa afirmou que já está trabalhando na criação de novas tecnologias para oferecer a experiência. A empresa é dona da Oculus, responsável pela fabricação de headsets de realidade virtual.

Além de Mark Zuckerberg, outras empresas como a Epic Games, desenvolvedora do jogo Fortnite, e a Microsoft, também apostam no novo universo virtual.

Comentários

Mais Lidas