Sertão

Fortes chuvas com raios e trovões deixam rastros de destruição em Petrolina, no Sertão; veja vídeos

As chuvas provocaram diversos pontos de alagamento em toda a cidade e uma ambulância chegou a ficar presa em um desabamento no Centro.

Eduarda Cabral
Eduarda Cabral
Publicado em 05/11/2021 às 8:05
Notícia
REPRODUÇÃO/REDES SOCIAIS
A chuva causou vários danos na noite desta quinta-feira (4) - FOTO: REPRODUÇÃO/REDES SOCIAIS
Leitura:

Durante a última quarta-feira (4), a cidade de Petrolina, no Sertão de Pernambuco, registrou fortes chuvas que deixaram rastros de destruição em diversos pontos do município. Durante a noite, o temporal deixou ruas alagadas, deixou árvores caídas e derrubou até parte da cobertura de um posto de combustíveis em cima de uma ambulância, no Centro.

..

O fenômeno foi registrado pela população através de vídeos, que foram compartilhados nas redes sociais. Os vídeos mostram diversos pontos de alagamento espalhados pela cidade, além de raios e trovões que chegaram a assustar alguns moradores.

 

Chuvas em Petrolina

De acordo com o monitoramento pluviométrico da Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac), Petrolina registrou 45 milímetros (mm) de precipitação nas últimas 24 horas. Com isso, o município sertanejo se tornou a cidade onde mais choveu no último dia em Pernambuco. A previsão era de que, em todo o mês de novembro, chovesse 50 milímetros (mm) em toda a cidade.

A Prefeitura de Petrolina havia alertado a população, por meio da Defesa Civil, através de um alerta emitido na última quarta-feira (3). A prefeitura reforçou ainda que as equipes de resgate estão de prontidão e realizando monitoramento na cidade. 

Para entrar em contato com os serviços de emergência, a população pode ligar para a Defesa Civil através do serviço emergencial 153, que funciona 24 horas.

Por que está chovendo em Petrolina?

As fortes chuvas ocasionadas em Petrolina foram provocadas pela Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS). De acordo com o meteorologista da Apac Fabiano Prestrelo, em entrevista ao JC Online, o fenômeno é caracterizado por uma faixa de nebulosidade que vem da região amazônica com nuvens do tipo cumulo nimbus aglomeradas e com "grande desenvolvimento vertical que pode provocar chuvas intensas e trovoadas, e até granizo".

Comentários

Mais Lidas