pobreza

Com benefício reduzido, 558 mil famílias que vivem na miséria estão de fora do Auxílio Brasil

No total, há 15,06 milhões de famílias nessa situação

Gabriela Luna
Gabriela Luna
Publicado em 24/11/2021 às 9:27
Notícia
BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
Comunidade Roque Santeiro, nos Coelhos, Centro do Recife - FOTO: BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
Leitura:

O Auxílio Brasil, antigo Bolsa Família, começou a ser pago a 14,5 milhões de famílias na semana passada, mas o número de benefícios concedidos não é suficiente para atender todas as famílias em extrema pobreza.

No total, há 15,06 milhões de famílias nessa situação. Ou seja, 558 mil famílias a mais do que os benefícios disponibilizados pelo governo. Até maio deste ano, o número de benefícios era maior que o de miseráveis. Com a crise e o crescimento da pobreza, isso se inverteu em junho e passou a piorar mês a mês. É uma redução inédita no programa social.

Os números são do Cadastro Único (CadÚnico), do governo federal.

Redução de beneficiários

Além do déficit crescente a partir de junho, o novo Auxílio Brasil começou a ser pago em novembro com uma redução de 148 mil beneficiários ou 1% em relação em relação ao último pagamento do extinto Bolsa Família, em outubro.

Desde em janeiro de 2019, o número de famílias em extrema pobreza inscritas no Cadastro Único cresceu 2,3 milhões.

Comentários

Mais Lidas