Música

Samantha Schmütz lança clipe com cena que faz referência ao caso Miguel; entenda

O clipe contém várias referências sobre desigualdade social, econômica e impunidade

Bruna Padilha NE 10 Interior
Bruna Padilha
NE 10 Interior
Publicado em 02/12/2021 às 15:01
Notícia
Reprodução/Internet/Youtube
Samantha Schmütz referenciou o caso do menino Miguel em seu novo clipe - FOTO: Reprodução/Internet/Youtube
Leitura:

A comediante, atriz e cantora Samantha Schmütz lançou sua primeira música autoral, a “Edifício Brasil”, que fala sobre desigualdade social, econômica e impunidade, fazendo referência ao país. Entre as referências, está o caso do menino Miguel, que morreu ao cair do nono andar de um edifício de luxo em Recife.

..

Em uma postagem no Instagram, ela explicou sobre a cena em que aparece uma mulher loira deixando uma criança sozinha no elevador e vem datado em 2 de junho de 2020, quando aconteceu a morte de Miguel. Essa parte do clipe faz referência também às imagens de câmera de segurança do elevador das Torres Gêmeas.

“Antes da gravação, entrei em contato com a Mirtes Renata, mãe do Miguel e uma das vítimas desse crime, para pedir sua autorização e questionar o que ela achava da produção. Ela concordou, deu seu consentimento e conversamos mais sobre o caso.”, explicou Samantha.

Mirtes, mãe de Miguel, também fez uma postagem sobre o clipe e agradeceu a visibilidade que foi dada ao caso “Quero agradecer por toda preocupação pelo carinho por toda força, na luta por #justiçapormiguel onde você representou, mexeu profundamente comigo, era única coisa que eu gostaria que tivesse acontecido, que tivessem pegado meu filho e me entregado meu amor meu neguinho. Por causa desta escolha eu vou passar o resto da minha vida sem meu filho! Samanta tudo que você faz você entrega tudo de si, obrigada a todos que estão espalhando e clamando através deste clipe #justiçapormiguel. Aos que ainda não assistiram, assistam está emocionante.”, diz a mãe.

Clipe

Além da referência sobre o caso de Miguel, Samantha trouxe várias outras encenações de problemas sociais. Algumas cenas se passam em um elevador onde homens de terno com bolsos cheios de dinheiro e um caso de agressão a uma mulher.

Assista:

 

Relembre caso Miguel

Miguel Otávio Santana da Silva, então com cinco anos, morreu em 2 de junho deste ano após cair do nono andar do prédio em que Sarí morava, o edifício Píer Maurício de Nassau, no bairro de São José, na área central do Recife. Ele era filho da empregada doméstica da acusada, Mirtes Renata Santa de Souza. A patroa da mãe de Miguel estava com a criança momentos antes da morte e deixou o menino andar sozinho no elevador do prédio. Mirtes havia saído para passear com o cachorro da patroa.

De acordo com a perícia do Instituto de Criminalística, ao chegar no nono andar enquanto andava sozinho no elevador, Miguel escalou uma janela de 1,20 metro de altura e chegou a uma área onde ficam os condensadores de ar. Em seguida, caiu de uma altura de 35 metros. Ele chegou a ser socorrido, mas não resistiu e morreu.

Comentários

Mais Lidas