guerra

Como está a guerra entre a Rússia e a Ucrânia? Veja as últimas notícias

Putin justificou ação militar para proteger separatistas no leste e ameaçou quem tentar interferir

Gabriela Luna
Gabriela Luna
Publicado em 24/02/2022 às 8:51
Notícia
Foto: Reprodução/Getty Images
Moradores de Kiev deixam a cidade após ataques de mísseis das forças armadas russas - FOTO: Foto: Reprodução/Getty Images
Leitura:

O presidente da Rússia Vladmir Putin, ordenou, nas primeiras horas desta quinta-feira (24), uma ação militar no leste da Ucrânia, onde estão as regiões separatistas que ele reconheceu como independentes. O presidente fez ameaças em discurso e disse que quem tentar interferir sofrerá consequências nunca vistas.

..

Em seu pronunciamento, Putin justificou a ação ao afirmar que a Rússia não poderia “tolerar ameaças da Ucrânia”. Putin recomendou aos soldados ucranianos que “larguem suas armas e voltem para casa”.

O Ocidente condenou imediatamente a decisão. A ONU pediu que Putin recue e Biden disse que a Rússia escolheu uma guerra de perdas catastróficas.

O comando militar da Ucrânia afirma que país sofre uma segunda onda de ataques por mísseis. Explosões foram ouvidas em diversas cidades, inclusive em Kiev. A Ucrânia informou ainda que pelo menos 50 pessoas morreram.

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, autorizou cidadãos a pegarem armas para defender o país e pediu doação de sangue. Longas filas foram registradas nas principais rodovias de Kiev, com moradores tentando deixar o país.


 

  • Putin ordenou uma ação militar no leste da Ucrânia, onde estão as regiões separatistas que ele reconheceu como independentes

  • Ao discursar, o presidente russo fez ameaças e disse que quem tentar interferir sofrerá consequências nunca vistas

  • Comando militar da Ucrânia afirma que país sofre uma segunda onda de ataques por mísseis

  • O Ocidente condenou imediatamente a decisão. A ONU pediu que Putin recue e Biden disse que a Rússia escolheu uma guerra de perdas catastróficasuito remota

  • Jens Stoltenberg, secretário-geral da Otan, fala sobre a ação militar da Rússia

Comentários


Mais Lidas