DOENÇA

VARÍOLA DOS MACACOS SINTOMAS: Veja lista de sintomas e como se proteger

O primeiro caso foi confirmado no Brasil de varíola dos macacos e mais sete estão sob investigação.

Catêrine Costa
Catêrine Costa
Publicado em 08/06/2022 às 15:21 | Atualizado em 08/06/2022 às 16:47
AFP
Neste ano, a OMS registra transmissão comunitária generalizada da varíola dos macacos fora da África - FOTO: AFP
Leitura:

Um homem de 41 anos que retornou de viagem à Espanha, foi o primeiro paciente a confirmado no Brasil com a varíola dos macacos. 

O caso foi confirmado nesta quarta-feira (8). Ele segue internado no Hospital Emílio Ribas, em São Paulo. 

Conforme o Ministério da Saúde, mais sete casos seguem em investigação no Brasil. 

SINTOMAS VARÍOLA DOS MACACOS

Os mais comuns são:

  • Febre
  • Dor de cabeça
  • Dores musculares
  • Dor nas costas
  • Gânglios (linfonodos) inchados
  • Calafrios
  • Exaustão

De acordo com informações do Portal G1, dentro de 1 a 3 dias (às vezes mais) após o aparecimento da febre, o paciente desenvolve uma erupção cutânea, geralmente começando no rosto e se espalhando para outras partes do corpo.

As lesões passam por cinco estágios antes de cair, de acordo com o Centro de Controle de Doenças (CDC) dos Estados Unidos.

A doença geralmente dura de 2 a 4 semanas.

COMO PREVENIR A VARÍOLA DOS MACACOS

Semelhante a Covid-19, as formas de prevenção a varíola dos macacos são medidas como uso de máscaras, o distanciamento e a higienização das mãos.

"Tais medidas não farmacológicas, como o distanciamento físico sempre que possível, o uso de máscaras de proteção e a higienização frequente das mãos, têm o condão de proteger o indivíduo e a coletividade não apenas contra a Covid-19, mas também contra outras doenças", disse Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). 

Mapa da varíola dos macacos pelo mundo

ILUSTRATIVA/BRIAN W.J. MAHY / CENTERS FOR DISEASE CONTROL AND PREVENTION / AFP
A varíola dos macacos ressurgiu na Nigéria em 2017, após mais de 40 anos sem casos relatados - FOTO:ILUSTRATIVA/BRIAN W.J. MAHY / CENTERS FOR DISEASE CONTROL AND PREVENTION / AFP

Mais Lidas