valorização

Banco internacional doa US$ 800 mil para criação de Museu das Amazônias

Museu será construído no Pará e é visto como futuro legado da COP 30, conferência que será realizada na capital paraense, em novembro de 2025

Imagem do autor
Cadastrado por

Rodrigo Fernandes

Publicado em 12/06/2024 às 7:27
Notícia

O Banco de Desenvolvimento da América Latina e do Caribe (CAF) aprovou a concessão de US$ 800 mil (cerca de R$ 4,2 milhões) para a construção do Museu das Amazônias, no Pará. A iniciativa tem o suporte técnico do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

O novo museu será instalado em um dos galpões do Porto de Belém e será um dos legados da 30ª Conferência das Nações Unidas sobe Mudanças Climáticas (COP 30), que será realizada na capital paraense, em novembro de 2025.

Os recursos do CAF serão destinados à implantação dos projetos executivos necessários para a construção do museu, com base em qualidade técnica e sustentabilidade.

A cooperação internacional inclui programas de investigação, inovação, desenvolvimento tecnológico e de conhecimentos tradicionais locais e ancestrais.

Leia também: Fundo de incentivo à mineração para a transição energética terá R$ 1 bilhão

Além disso, está previsto um plano museológico e de programas de capacitação para docentes, educadores e investigadores e redes colaborativas entre atores-chave, promovendo o intercâmbio de experiências, a colaboração e a adoção de práticas educacionais e científico-culturais relacionadas à Amazônia.

Legado

O anúncio da liberação dos recursos foi feito em uma cerimônia realizada na sede do BNDES, na última terça-feira (11), no Rio de Janeiro.

"O Museu das Amazônias será um equipamento de difusão científica e cultural, que dará voz aos seus habitantes e comunidades, de forma duradoura, construtiva e lúdica, fomentando um novo polo turístico agregador”, disse o presidente do BNDES, Aloizio Mercadante.

O governador do Pará, Helder Barbalho, participou de forma virtual, destacando a iniciativa "no processo educativo e pedagógico de nossos visitantes e para construção de uma Amazônia cada vez mais sustentável, inovadora, resiliente e justa para todos e todas”.

O presidente-executivo do CAF, Sergio Díaz-Granados, disse que o museu será um espaço para informação e capacitação sobre complexidade e a riqueza da Amazônia. "Com esses recursos iniciais, faremos essa iniciativa decolar, com o apoio do BNDES em seu papel de articulador de parceiros que viabilizem a construção desse valioso bem cultural brasileiro”, afirmou.

Com informações da Agência Brasil

Tags

Autor