resgate

Idosa de 73 anos é resgatada após 20 anos de trabalho análogo à escravidão

Idosa permanecia 24 horas à disposição da família que a contratou e só havia dormido uma única vez em sua residência durante todo esse período

Imagem do autor
Cadastrado por

Rodrigo Fernandes

Publicado em 19/06/2024 às 9:50
Notícia

Uma idosa de 73 anos foi resgatada de trabalho análogo à escravidão depois de passar 20 anos trabalhando sem folga como cuidadora de uma outra idosa, de 99 anos. De acordo com o serviço de Inspeção de Trabalho do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), que realizou o resgate, ela só havia dormido uma única vez em sua residência durante todo esse período.

A ação de resgate foi realizada na cidade de Itapetininga, no interior de São Paulo, e teve início no dia 3 de junho, quando o serviço de inspeção identificou a situação da idosa. Ela não tinha registro em carteira e permanecia 24 horas à disposição da família que a contratou.

A idosa recebia pagamento semanal de R$ 380, o que, segundo o ministério, também pode caracterizar trabalho escravo.

Leia também: Jovem é morto a tiros por engano na frente da namorada após atirador confundir alvo

De acordo com o chefe da fiscalização Regional do MTE em Sorocaba, Ubiratan Vieira, o resgate requereu averiguação detalhada das condições de trabalho da idosa e do lugar onde ela ficaria abrigada após a ação — que não foi revelado.

"É uma ação que requer tempo, cautela, sigilo e cooperação de todos os envolvidos", afirmou.

Os auditores fiscais do Trabalho entrevistaram a idosa e estão realizando os cálculos das verbas trabalhistas devidas para propor um acordo com a família.

Caso não aceitem, o Ministério Público do Trabalho, que também participou da ação, vai acionar a Justiça e abrirá processo para que a trabalhadora possa receber o pagamento das verbas devidas.

Como denunciar

As denúncias de trabalho análogo à escravidão podem ser feitas anonimamente pelo Sistema Ipê (ipe.sit.trabalho.gov.br).

Os dados oficiais sobre as ações de combate ao trabalho análogo ao de escravo no Brasil estão disponíveis no Radar do Trabalho Escravo da Secretaria de Inspeção do Trabalho (sit.trabalho.gov.br/radar).

Tags

Autor