INSS

INSS: órgão alerta para novo golpe que cobra R$ 400 por liberação de BPC/Loas

O golpe foi descoberto através de um servidor do órgão. Os golpistas enviam mensagens e cobram até R$ 400 para o beneficiário BPC/Loas

Publicado em 28/06/2024 às 0:43 | Atualizado em 28/06/2024 às 9:24

Fique atento! Se você é aposentado ou pensionista por deficiência do INSS, deve se atentar para tentativas de fraudes e golpes. De acordo com o instituto, bandidos estão pedindo cerca de R$ 400 para a liberação do Benefício de Prestação Continuada (BPC/Loas).

Este benefício é direcionado a pessoas com deficiência e idosos, a partir de 65 anos, que se encontram em situação de vulnerabilidade. 

Abaixo, confira mais detalhes sobre o caso.

Golpe do INSS

Segundo informações do governo, o golpe foi denunciado por um servidor do INSS de Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense, Rio de Janeiro.

O nome do funcionário não foi revelado. Mas, de acordo com ele, quando foi consultar dados do BPC/Loas de um idoso, ele encontrou várias pessoas cadastradas no mesmo pedido do benefício.

"Pelo cadastro desse segurado no CNIS foi identificado o registro de um e-mail e um número de telefone que o próprio segurado não reconhecia", afirmou o servidor, mantido sob anonimato.

Como se prevenir?

Os golpes começam através de SMS (mensagens de texto) enviadas para o celular do beneficiário.

De acordo com o INSS, na mensagem enviada pelo golpista, havia dados de hora e local do recebimento do dinheiro, que seria supostamente cobrado pelo banco.

  • Os golpistas afirmavam que o dinheiro do benefício estava liberado e o beneficiário teria que ir buscar no endereço indicado na mensagem.

Além disso, os bandidos também pediam os números dos documentos como RG, CPF e Comprovante de residência.

É importante lembrar que o INSS NÃO pede dados dos beneficiários através de mensagens ou outros meios.

  • O número do SMS usado pelo INSS para informar os cidadãos é 280-41.
  • Além disso, em caso de dúvidas, sempre entre em contato com os canais oficiais do órgão.
  • Telefone: 135
  • Aplicativo/Site: Meu INSS

Investigação

O caso está sob investigação da Polícia Federal. Até o momento da publicação desta matéria, não havia atualizações.

*Fonte: O Globo

Tags

Autor