Pix por aproximação deve ser lançado em 2025; saiba como vai funcionar

Novas funcionalidades estão previstas para estar disponíveis ao público em fevereiro de 2025. Saiba todos os detalhes anunciados pelo Banco Central

Publicado em 07/07/2024 às 9:02 | Atualizado em 07/07/2024 às 9:03

O Banco Central do Brasil (BC) e o Conselho Monetário Nacional anunciaram, na última quinta (4), novas regras para o sistema Open Finance, incluindo a introdução do pagamento por aproximação utilizando o PIX.

Essas funcionalidades estão previstas para estar disponíveis ao público em fevereiro de 2025.

O cronograma é o seguinte:

  • 31 de julho de 2024: Regulamentação específica para a Jornada de Pagamentos Sem Redirecionamento (JSR);
  • 14 de novembro de 2024: Testes em produção;
  • 28 de fevereiro de 2025: Lançamento do produto para a população.

Além do PIX por aproximação, as novas regras permitirão que os clientes realizem pagamentos em e-commerces sem precisar sair do ambiente de compras online.

Detalhes mais específicos sobre como as instituições financeiras devem implementar esses serviços serão publicados pelo BC no final de julho.

Em seguida, a partir de novembro, as instituições financeiras começarão a testar essas funcionalidades para garantir a segurança das operações.

Como habilitar?

Segundo Janaína Pimenta Attie, chefe de subunidade do Departamento de Regulação do Sistema Financeiro (Denor), os clientes poderão acessar os novos recursos após se cadastrarem em uma instituição participante do Open Finance e ativarem as funções nas carteiras digitais.

Em julho, o primeiro passo do processo incluirá a definição das responsabilidades de cada instituição participante, a obrigatoriedade de participação e detalhes sobre o fluxo de segurança dessa nova modalidade de pagamento.

"O que precisa ser testado é esse novo modelo, justamente para garantir uma experiência fluída para os clientes quando for lançado em fevereiro", afirmou a executiva.

Chama no Zap!

Receba notícias na palma da sua mão. Entre agora mesmo no nosso canal exclusivo do WhatsApp

ENTRAR NO CANAL DO WHATSAPP

Janaína destacou que um dos principais objetivos dessa nova funcionalidade é estabelecer novos protocolos de comunicação entre as instituições, garantindo maior segurança nos processos, especialmente na identificação dos clientes.

Novas regras

As novas regras têm três principais objetivos:

  • Simplificar a jornada de iniciação de pagamentos com PIX;
  • Ampliar o número de instituições que serão obrigadas a participar do Open Finance;
  • Estabelecer a estrutura definitiva de governança do Open Finance.

O Banco Central (BC) explica que o PIX por aproximação será viabilizado pelas novas regras do Open Finance, que simplificarão as etapas nos pagamentos online e integrarão o PIX nas carteiras digitais.

"A mudança abrirá espaço para a realização de pagamentos por aproximação com o PIX, permitindo que o usuário realize a transação sem a necessidade de acessar o aplicativo de sua instituição financeira", diz o BC, em nota.

As normas também tornarão obrigatória a participação de um maior número de instituições financeiras no Open Finance.

Todas as instituições individuais ou conglomerados com mais de 5 milhões de clientes terão que aderir, aumentando a base de clientes aptos a compartilhar seus dados entre as instituições de 75% para 95%.

"O Open Finance já é uma realidade. Daqui 10 anos, vamos olhar para trás e ver como esse ecossistema mudou a realidade de pagamentos", garante o diretor de Regulação do Banco Central, Otávio Damaso.

Nota do BC na íntegra

"O Banco Central e o Conselho Monetário Nacional decidiram criar novas regras do Open Finance visando (a) simplificar a jornada de iniciação de pagamentos com Pix, inclusive a para a realização de pagamentos por aproximação, (b) ampliar o escopo de instituições que serão obrigadas a participar do ecossistema do Open Finance e (c) estabelecer a estrutura definitiva de governança do Open Finance.

Em relação à simplificação da jornada de iniciação de pagamentos, as novas regras do Open Finance irão diminuir etapas nos pagamentos online e possibilitarão a oferta de Pix nas carteiras digitais, as chamadas wallets. A mudança abrirá espaço para a realização de pagamentos por aproximação com o Pix, permitindo que o usuário realize a transação sem a necessidade de acessar o aplicativo de sua instituição financeira.

As novas regras ampliam o escopo de instituições que participam do ecossistema do Open Finance, passando a abranger instituições financeiras que são relevantes em segmentos, como por exemplo investimento e operações de câmbio. Com isso, a base de potenciais clientes beneficiados pelo Open Finance vai alcançar 95% dos usuários do SFN.

O Banco Central também aprovou a estrutura definitiva de governança do Open Finance pavimentando o seu desenvolvimento mais rápido. Essa governança definitiva passará a ter personalidade jurídica e estrutura organizacional próprias.

O Open Finance já permite que os consumidores brasileiros tenham acesso a múltiplos benefícios advindos de soluções criadas pelas instituições participantes, a exemplo de agregadores e gerenciadores financeiros; oferta de crédito mais barato; maior facilidade para portabilidade de crédito e de salário; economia com cheque especial; oferta de melhores oportunidades de investimentos.

A partir do Open Finance, as instituições financeiras irão criar Super Apps, consolidando todas essas soluções e informações em um único aplicativo, facilitando ainda mais a experiência do cliente e a oferta de novos produtos e serviços financeiros.

O Open Finance é um ecossistema que funciona em prol do empoderamento do cliente, do aumento da competição, da eficiência e da inclusão financeira."

Tags

Autor