menu

Terra do Samba de coco, Arcoverde também respira forró

Cultura é passada de pai para filho através de tradições

A Tradição no forró-pé-de-serra é passada de pai para filho
O garoto "Pedrinho" coleciona uma sanfona para cada fase da vida (Reprodução/TV Jornal Interior)

Conhecida como portal do Sertão e terra do samba de coco, a cidade de Arcoverde tem muitos títulos. No entanto, durante o mês de junho, o município de cerca de 75 mil habitantes ganha mais uma qualificação: capital do São João.

Tradição passada de pai para filho, o amor pelo forró pé-de-serra guia o músico Paulinho. O sanfoneiro aprendeu a tocar com o pai e já pode ensinar a arte do instrumento para Chambinho do acordeon e conhecer o mestre Dominguinhos. A vitalidade de Paulo, ou Paulinho, como é conhecido, mostra o amor pelo forró e a sede de cultura. "Pode botar show de 6 horas, até amanhecer o dia", comenta.

A vontade de tocar também foi passada para o filho Pedrinho, terceira geração de sanfoneiros na família. O garoto hoje com 16 anos, coleciona uma sanfona para cada fase da vida. "Enquanto eu fui crescendo a sanfona foi acompanhando", explica. Paulo formou com uma dupla com o filho Pedro, os filhos Paulinho e Pedrinho.

Além de sanfoneiros, Arcoverde é também um celeiro de poetas, demonstrando que o Sertão é uma terra fértil para a arte.

Acompanhe no especial "Vem que tem", da TV Jornal Interior:

Terra do Samba de coco, Arcoverde também respira forró

Povo na TV
  • 25/06/2019 17:13
Conhecida como portal do Sertão e terra do samba de coco, a cidade de Arcoverde tem muitos títulos. No entanto, durante o mês de junho, o município de cerca de 75 mil habitantes ganha mais uma qualificação: capital do São João. 3 minutos e 45 segundos