Investigação

Suposto membro do PCC aplica golpes alugando casas para o FIG

Vítimas depositavam valores e depois recebiam mensagem informando do golpe; polícia investiga

Ana Maria Santiago de Miranda
Ana Maria Santiago de Miranda
Publicado em 15/07/2019 às 12:15
NOTÍCIA
Reprodução/WhatsApp
FOTO: Reprodução/WhatsApp
Leitura:

A Polícia Civil de Pernambuco está investigando um golpe contra pessoas que procuravam casas para alugar para visitar Garanhuns, no Agreste de Pernambuco, durante o Festival de Inverno (FIG), que será realizado da próxima quinta-feira (18) até o dia 27 de julho. O autor do golpe seria um suposto integrando da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC).

A designer e estudante de Direito Susany Lyra, 33 anos, uma das vítimas, contou ao NE10 Interior que viu um anúncio da casa, que ficaria na Avenida Afonso Pena, no centro, através da OLX e entrou em contato com a suposta proprietária pelo WhatsApp. A ideia era viajar na próxima sexta-feira (19) e retornar na segunda, primeiro fim de semana do festival.

A mulher teria proposto o valor de R$ 1 mil pelo período escolhido pelas vítimas, que são do Recife. Depois de o grupo depositar R$ 500, a suposta dona do imóvel emitiu um contrato de locação com os dados fornecidos pela designer, como nome completo, CPF, endereço, entre outros. "Ela estava bem solícita, tinha a foto dela no WhatsApp, mandou fotos de dentro e de fora da casa, não desconfiamos de jeito nenhum", contou a designer.

Anteriomente, o grupo havia pedido um dia a menos, e para acrescentar uma diária, teve que depositar mais R$ 100 para garantir a casa. A surpresa veio por volta das 17h desse domingo (14), quando a vítima recebeu uma mensagem informando que se tratava de um golpe. "Então menina. sou Juara ou Magao como achar melhor. Sou do 15.3.3 ou PCC. isso foi um golpe. Não tem casa nem uma está conta e clonada as fotos nao sao desta casa nem sei onde ficar esta casa (sic)", dizia a mensagem.

O suposto integrante da facção criminosa também ameaçou a vítima. Caso procurasse a polícia, ela iria "receber uma visita" dos "irmãos" do criminoso. "Estamos aqui no sistema neste veneno e precisamos desta grana mas do que vc que está aí no mundão e que vai gastar grana em festa valeu! (sic)", continua o texto recebido pela vítima.

Suposta dona do imóvel teria enviado várias fotos da casa
Suposta dona do imóvel teria enviado várias fotos da casa
Reprodução/WhatsApp

Após o ocorrido, o grupo desistiu de fazer a viagem. "A gente estava com o orçamento bem reduzido, achava que tinha feito um bom negócio, o endereço ficava próximo à Praça Mestre Dominguinhos. Acabou que destruiu tudo, a gente ficou bem frustado", lamentou.

Também morador do Recife, o estudante Pedro Estima, 23, passou por uma situação bem parecida. Ele e uma amiga entraram em contato com a mesma mulher, também a partir da OLX. De acordo com ele, o anúncio oferecia os 10 dias de festival por R$ 3 mil e a mulher chegou a insistir que eles fechassem todo o período. Como as 10 pessoas do grupo só queriam a hospedagem para o segundo fim de semana, a mulher contou que faria por R$ 1,5 mil e que seria necessário depositar R$ 750 de forma antecipada. O depósito foi realizado.

Na semana passada, a mulher teria voltado a procurar os interessados e disse que após uma reunião com a prefeitura de Garanhuns, iriam dar um desconto: caso depositassem o restante do valor, receberiam um desconto de R$ 200. Eles negaram e em seguida receberam a mesma mensagem recebida por Susany informando sobre o golpe. "O número era 87, que é o código de Garanhuns, ela prometeu chuveiro quente, camas, wifi, disse que ia fazer uma vistoria", relatou.

Depois do golpe, o grupo procurou uma pessoa de confiança e conseguiu alugar um imóvel. "Encontramos uma casa por um valor menor e vamos desenrolar, para não acabar com o festival de todo mundo", contou.

Investigações

Por meio de nota, a Polícia Civil confirmou que uma das vítimas registrou o caso de estelionato/fraude na tarde desse domingo (14) na Delegacia de Boa Viagem, na Zona Sul do Recife. A outra vítima informou ao NE10 Interior que prestou queixa em uma delegacia na Avenida Agamenon Magalhães, também na capital pernambucana. As investigações ficarão sob sigilo até a completa elucidação do fato. A polícia orienta que quem tiver sido vítima do golpe deve registrar a queixa na delegacia mais próxima.

Também através de nota, a Secretaria Municipal de Cultura, da Prefeitura de Garanhuns, informou que o cadastro de casas para alugar durante o 29º Festival de Inverno de Garanhuns é feito pessoalmente e o nome e endereço informados pelas vítimas do golpe não constam nas listas de casas disponíveis no portal da Prefeitura.

Mais Lidas