Investigação

Suspeito de ser mandante da morte da mãe adotiva publicou post dizendo que a amava

Mãe e pai adotivos do suspeito foram baleados na última quinta-feira durante um assalto em Canhotinho

Ana Maria Santiago de Miranda
Ana Maria Santiago de Miranda
Publicado em 13/01/2020 às 15:05
NOTÍCIA
Reprodução/TV Jornal Interior
FOTO: Reprodução/TV Jornal Interior
Leitura:

O jovem suspeito de ser o mandante do assassinato da mãe adotiva e da tentativa de homicídio contra o pai adotivo em Canhotinho, no Agreste de Pernambuco, fez uma postagem em uma rede social dizendo que amava ambos e que estaria com saudades. Gabriel Martins Melo, 20 anos, se apresentou na delegacia na noite da última sexta-feira (10), onde teria assumido envolvimento no crime. "Mãe e pai... saudades eternas... o que fizeram com vocês nunca vai ser perdoado... Eu amo vocês demais... por favor não me deixa aqui pai e mãe", dizia a mensagem.

Na noite da última quinta (9), três homens encapuzados invadiram a residência do casal para praticar um assalto e atiraram nos dois. Minéia Silvana da Silva, 47 anos, não resistiu e morreu dentro de casa. O marido, o motorista de lotação Josenildo Martins de Melo, 49, continua internado no Hospital da Restauração, no Recife.

À polícia, Gabriel Martins teria dito que os suspeitos iriam roubar R$ 10 mil do pai dele, e este valor seria dividido entre os envolvidos. Porém, o trio teria se antecipado e praticado o assalto antes do previsto para não precisar dividir o montante.

De acordo com o delegado Helianthus Bezerra, o auto de prisão em flagrante foi confeccionado na última sexta e o suspeito levado para audiência de custódia no sábado, em Garanhuns. A prisão preventiva de Gabriel foi decretada e ele foi conduzido à Cadeia Pública daquela cidade.

"As investigações ainda estão em andamento, existem mais pessoas envolvidas neste crime bárbaro e esperamos dar a resposta à sociedade o mais rápido possível", explicou o delegado. Os outros envolvidos ainda não foram identificados.

Luto

De acordo com os pais de Minéia, o casal criava o suspeito desde que ele era recém-nascido. A mãe dela, Maria do Carmo, acreditava que o jovem não seria capaz de cometer um crime como este e disse que não o perdoará nunca. "Ele sempre foi muito bem criado, estava fazendo faculdade agora. Para mim ele era uma bênção de Jesus. No dia da morte, a mãe morta lá dentro, ele me abraçou, beijou e disse: 'vó, eu vou matar quem matou a minha mãe'", relembrou.

Já o pai da vítima fatal, Gercivan Pedro, afirmou que apesar de ter visto que Gabriel estava choroso após o crime, tinha suspeitas. "Não acreditava que ele teria a coragem de executar a própria mãe, mas formar uma quadrilha para fazer isso, ele tinha essa coragem", opinou. O corpo de Minéia foi sepultado na tarde da última sexta-feira no cemitério de Canhotinho.

Para Dário Morais, pastor da igreja evangélica batista que o suspeito frequentava, o caso surpreendeu a todos. "Quando eu cheguei aqui ele tinha cinco anos de idade. Desse período, ele passou aqui na igreja comigo. Faz um ano e pouco que ele saiu da igreja e começou a ficar na rua. Nós tentamos resgatar ele a todo custo, mas não foi possível. Eu perguntei a ele qual o envolvimento dele, ele disse que não tinha envolvimento nenhum".

Notícias policiais da TV Jornal Interior

Quer ficar acompanhando as notícias policiais da TV Jornal? Você pode ter acesso rápido a todas elas no nosso grupo, no Facebook. Acesse aqui o grupo Notícias Policiais TV Jornal Interior.

Mais Lidas