menu

Vídeo mostra confusão após partida do Central e Retrô em Caruaru

Torcedores teriam arremessado pedras no ônibus do Retrô

Briga ocorreu após partida de Central e Retrô
Briga ocorreu após partida de Central e Retrô (Reprodução/Rádio Jornal News)

Uma confusão ocorreu após a partida de futebol entre o Central e o Retrô no estádio do Lacerdão, em Caruaru, no Agreste pernambucano, na noite desse sábado (18). Segundo informações da Polícia Militar (PM), alguns torcedores teriam arremessado pedras no ônibus do Retrô que estava estacionado ao lado do estádio.

Na ocasião, dois vidros do veículo foram quebrados. Nenhuma pessoa foi atingida. De acordo com a PM, a briga foi dispersada por policiais que estavam realizando a segurança na área externa, mas não conseguiram prender os suspeitos de envolvimento na briga.
Ainda segundo a PM, cumprindo o protocolo da partida, foram liberados os torcedores do time visitante. Em seguida, a equipe do Retrô embarcou no ônibus e foi escoltada até Bezerros, também no Agreste.

Veja vídeo que mostra o momento da confusão:

O Central emitiu uma nota de esclarecimento e repúdio que afirmou que não teve participação na ocasião da confusão após a partida. Leia a nota na íntegra:

"O Central Sport Club vem esclarecer a sociedade Pernambucana e esportiva que não teve qualquer participação com o episódio veiculado na imprensa e redes sociais, sobre a violência entre os torcedores. Informa que o evento Central x Retrô ocorreu sem qualquer intercorrência dentro do estádio Lacerdão e nos seus arredores remarcados pela Polícia, antes e durante a partida. O problema aconteceu após a partida, fora das dependências do clube.

Esta agremiação obtivera todos os laudos para a realização do evento com segurança e procedeu à separação do maior espaço do estádio, inclusive isolado, para a torcida do Retrô que, aliás, se ausentou em primeiro lugar e com antecedência conforme determinação da Polícia Militar de Pernambuco.

Para além da obtenção dos laudos, como de praxe, o Central Sport Club se reuniu com o 1º Batalhão integrado Especializado da Polícia Militar (1º Biesp) no dia 17 de janeiro, véspera da partida, quando definidos todos os parâmetros de segurança.

Na data do evento, com antecedência de mais de 3h, o perímetro do estádio já estava isolado e contando com a necessária segurança pública citada.

O Central Sport Club repudia todo ato de hostilidade e de agressão, física ou verbal, individual ou coletiva, contra atletas, comissões desportivas e de arbitragem, torcedores e demais cidadãos. O clube ratifica o compromisso de responsabilidade social, cultural e desportiva, enfatizando que permanecerá cumprindo os ditames legais e recomendações das Autoridades Policiais e da Entidade Máxima do Futebol Pernambucano com vistas às melhores práticas de paz social e segurança para os eventos futuros".