Boletim

Caruaru tem 49 casos confirmados do novo coronavírus

Destes, 29 já se recuperaram da doença

Ana Maria Santiago de Miranda
Ana Maria Santiago de Miranda
Publicado em 30/04/2020 às 11:15
NOTÍCIA
Pixabay
FOTO: Pixabay
Leitura:

A cidade de Caruaru, no Agreste de Pernambuco, tem 49 casos confirmados do novo coronavírus (covid-19). De acordo com o boletim divulgado na noite dessa quarta-feira (29), foram confirmados mais quatro casos da doença. As transmissões foram do tipo comunitária.

Dois dos pacientes têm 32 anos e os outros, 42 e 54. Apenas o mais velho está internado, em um hospital particular. Os outros estão isolados em casa, e todos têm quadro de saúde estável.

A Capital do Agreste tem ainda 129 casos suspeitos e 150 foram descartados. Dos confirmados, 14 estão em isolamento domiciliar e três estão internados. Caruaru tem ainda 29 recuperados da covid-19. Três mortes pela doença foram confirmadas e outras três estão em investigação.

UPA Respiratória

A Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro da Boa Vista, foi transformada em uma "UPA Respiratória" para atender casos suspeitos do novo coronavírus na cidade. O horário de funcionamento será 24h e a unidade será o serviço de referência no município para atender pessoas com problemas respiratórios e síndromes gripais graves.

As consultas clínicas antes realizadas nesta UPA serão deslocadas para o Centro de Saúde da Boa Vista, que fica a 650 metros do local e foi transformado em uma Upinha. A unidade irá funcionar em horário estendido, das 7h às 23h, de segunda a sexta-feira.

Quem precisar de atendimento de urgência pode procurar as UPAs do Salgado, Rendeiras e Vassoural. Os atendimentos de clínica médica e pediatria também deverão ser feitos nestas unidades.

Hospital de campanha

Hospital Municipal Manoel Afonso foi transformado em um hospital de campanha para atendimento exclusivo da covid-19. A unidade tem 73 leitos, que devem ser ampliados para 85. A prefeitura já está com 11 ventiladores pulmonares para auxiliar na estabilização de pacientes graves do coronavírus.

Mais Lidas