menu

Em meio a pandemia, Pernambuco registra menor número de roubos em mais de 7 anos

Isolamento social por causa do novo coronavírus fez com que criminalidade caísse

Roubo de veículos caiu em Pernambuco
Roubo de veículos caiu em Pernambuco (Pixabay)

O estado de Pernambuco terminou o mês de abril com o número mensal mais baixo de roubos em 86 meses. De acordo com a Secretaria de Defesa Social (SDS), foram 3.773 Crimes Violentos contra o Patrimônio (CVPs) em abril de 2020. A quantidade é a menor desde fevereiro de 2013, quando 3.741 ocorrências do tipo foram registradas. No comparativo com abril de 2019, a queda foi de 47%. A cidade que teve mais redução foi Recife, com -51,65%, o menor número deste tipo de crime em nove anos. O cenário ocorre em meio à pandemia do novo coronavírus (covid-19), que exige isolamento social.

Na capital, foram 2.643 CVPs em abril de 2019, contra 1.278 no mesmo mês deste ano. No Agreste, os roubos passaram de 1.301 para 714 (-45,12%). Na região metropolitana do Recife, desconsiderando a capital, e na Zona da Mata, o recuo foi de -44,17% (2.144 para 1.197 casos e 695 para 388, respectivamente). No Sertão, foram 196 roubos em abril de 2020, contra 335 em abril do ano passado (-41,49%).

O índice de roubo de veículos recuou 22,08% em Pernambuco em abril de 2020. O Recife, a região Agreste e o Sertão tiveram a maior diminuição, acima da média estadual. Em contraponto, o número subiu 2,3% no Sertão. O roubo de celulares caiu 44,4%, o que corresponde a menos 1.200 aparelhos subtraídos. Em abril, houve apenas um roubo a terminal de autoatendimento de agência bancária, mesmo número do ano passado. Entre janeiro e abril, foram seis roubos e furtos a instituições financeiras, 45% a menos do que os 11 do mesmo período do ano passado. Os assaltos a ônibus diminuíram -13,92%.

Mais números

A SDS também destaca que no primeiro quadrimestre, as polícias de Pernambuco apreenderam 1.763 armas; efetuaram 13.267 prisões em flagrante e cumpriram 1.276 mandados de prisão expedidos pela Justiça. Houve ainda 1.826 adolescentes apreendidos por atos infracionais e 2.036 ocorrências por tráfico de drogas.

O secretário de Defesa Social, Antonio de Pádua, vê a diminuição na circulação de pessoas como importante, mas garante que os investimentos de R$ 5 bilhões em segurança pública nos últimos anos já fazia com que a violência diminuísse nos últimos anos, desde setembro de 2017. "Por essa razão, foi possível nomear, desde 2015, 6.800 novos servidores para as Polícias Militar, Civil, Científica e Corpo de Bombeiros Militar, além de investir em inteligência e na abertura de novos batalhões, delegacias e demais unidades. É com esse reforço que estamos enfrentando firmemente o desafio da covid-19 e também proporcionando segurança para quem precisa estar nas ruas ou ficar em suas casas com tranquilidade", destacou.