Pagamento de boletos

"Não existe a menor possibilidade de sumir dinheiro de conta da Caixa", afirma representante do banco

Cláudio Salituro esclareceu caso envolvendo transferência do auxílio emergencial para carteiras digitais

Ana Maria Santiago de Miranda
Ana Maria Santiago de Miranda
Publicado em 09/07/2020 às 16:42
NOTÍCIA
Divulgação/Caixa
FOTO: Divulgação/Caixa
Leitura:

O vice-presidente de Tecnologia e Digital da Caixa Econômica Federal (CEF), Cláudio Salituro, esclareceu nesta quinta-feira (9) o caso do "sumiço" do dinheiro do auxílio emergencial após tentar transferir o recurso para carteiras digitais como o Nubank e o PicPay. Salituro afirmou que: "Não existe a menor possibilidade de sumir dinheiro de conta da Caixa".

"O que aconteceu foi que alguns clientes fizeram o uso do mesmo código de barras e pagaram o mesmo valor. Isso motivou uma verificação do banco responsável por aquele boleto, e a Caixa verificou que não existiam problemas", explicou.

Caixa explica problemas envolvendo o Caixa Tem; confira

Nubank e PicPay esclarecem problemas após dinheiro sumir das contas de clientes

Ainda de acordo com o representante da Caixa, há controles como o extrato da conta, através do qual o cliente pode acompanhar o dinheiro que entra e sai.

"Talvez no momento de compensação de uma TED, de uma cobrança, pode existir... Tanto é que no processo de cobrança, muitas instituições financeiras informam que o crédito pode acontecer em até três dias, porque sai aquele dinheiro do banco que pagou o boleto, passa por uma câmara de compensação e é transferido para a outra instituição", detalha.

Ainda segundo ele, quando ocorre algum problema na transação, o dinheiro volta para a conta de origem.

Uso das carteiras digitais

As carteiras digitais se popularizaram entre os beneficiários do auxílio, uma vez que permitem que o usuário tenha acesso ao dinheiro antes do dia permitido para a realização de transferências e saques. Com os problemas relatados, o Nubank e PicPay se pronunciaram.

Em uma nota divulgada nas redes sociais, o Nubank informou que foi informado pela Caixa que alguns boletos tinham sido creditados com quantias a mais, e que a empresa precisava devolver os valores. Ainda segundo o Nubank, ao acatar a recomendação e passar a corrigir os valores, vários clientes apontaram inconsistências nas informações fornecidas pela Caixa.

"Como sempre, buscamos fazer o correto para os nossos clientes: devolvemos imediatamente todos os valores enquanto aguardamos o posicionamento da Caixa. Já estão todos disponíveis nas contas do Nubank", diz a nota. O Nubank se coloca à disposição para esclarecer dúvidas através dos canais de atendimento.

Em comunicado enviado ao Tecnoblog, o PicPay informou que o problema tem relação com a instabilidade dos sistemas da Caixa Econômica Federal. Segundo o PicPay, quando o erro ocorre, o valor debitado do Caixa Tem é estornado pela Caixa.

Se o erro ocorrer durante o pagamento, o beneficiário deve tentar fazer a operação novamente. Segundo o PicPay, desde o início do pagamento do auxílio emergencial, mais de 2,9 milhões de pessoas conseguiram concluir a transferência do Caixa Tem para a carteira digital com sucesso.

Mais Lidas