Golpe

Suspeitos fingem ser funcionários do Datafolha para clonar WhatsApp

Polícia Federal alerta para golpe e dá dicas de como se proteger

Marília Pessoa
Marília Pessoa
Publicado em 03/08/2020 às 12:50
NOTÍCIA
Marcello Casal Jr/Agência Brasil
FOTO: Marcello Casal Jr/Agência Brasil
Leitura:

A Polícia Federal (PF) está alertando para um golpe em que suspeitos fingem ser da empresa de pesquisa Datafolha para clonar WhatsApp. De acordo com a PF, suspeitos estariam se aproveitando da pandemia do coronavírus e estão ligando para o celular das pessoas sob o pretexto de que estão fazendo uma pesquisa. Quando a pessoa aceita participar, o suposto funcionário pergunta se alguém da família teve sintomas de coronavírus.

No final, o suspeito pede para confirmar a pesquisa e é enviado para o celular da vítima por SMS um código de seis dígitos. Quando a pessoa repassa os números, o Whatsapp é clonado e os suspeitos aplicam golpes financeiros acessando a agenda telefônica da vítima.

O Instituto Datafolha fez pesquisas por telefone, mas a PF reforça que em nenhum momento são enviadas mensagens de confirmação para o celular das pessoas.

Como evitar ter o whatsapp clonado?

De acordo com a Polícia Federal, há algumas medidas que podem ser tomadas para evitar que o WhatsApp seja clonado. A primeira é fazer a ativação de confirmação em duas etapas, criando um código PIN com seis dígitos.

No sistema IOS (Iphone), acesse: Ajustes>Conta>Confirmação em duas etapas. Já no Android (Samsung, entre outros), vá em: Configurações>Conta>Confirmação em duas etapas. Outra dica é nunca fornecer o código de ativação a ninguém; nem empresas nem famosos têm o direito de ter acesso ou solicitar a numeração.

A outra orientação é sempre desconfiar de ligações e pedidos para que o código do sistema de segurança seja enviado. Por mais que pareça verídico, este é o único jeito de se manter longe dos ataques.

O que fazer caso seu whatsapp tenha sido clonado

Caso o seu WhatsApp tenha sido clonado, entre em contato com a operadora do celular e solicite a suspensão temporária da linha telefônica. Em seguida, vá até uma loja autorizada da empresa, apresente os documentos legais do titular da conta e peça para que o número seja transferido para um novo chip.

A Polícia Federal também orienta que a vítima envie um e-mail para support@whatsapp.com, informando seu número no formato internacional (+55 9 XXXX XXX), solicitando o bloqueio do WhatsApp clonado, ou vá em Ajustes>Ajuda>Fale Conosco (Iphone) ou Configurações>Ajuda>Fale Conosco (Android) e informe o problema.

O perfil permanecerá suspenso por 30 dias para que você consiga reativá-lo. Depois que a linha estiver ativa outra vez, reinstale o aplicativo do WhatsApp e configure a conta. Se a sua conta não for reativada dentro de 30 dias, ela será completamente apagada dos servidores do WhatsApp e será necessário cadastrar outro número.

A PF também orienta que a vítima vá até uma Delegacia de Polícia Civil e preste um boletim de ocorrência para que o caso seja investigado. Os crimes podem ser configurados como falsidade ideológica, estelionato e furto. As penas variam de três a 15 anos, além de multa. É importante ainda informar aos parentes e amigos que a conta foi clonada, para que elas possam evitar ser vítimas dos golpes.

Mais Lidas