menu

Banco do Nordeste terá linha de crédito voltada para serviços de saúde

Instituição financeira irá financiar projetos para expandir serviços de saúde

Dinheiro do Fundeci é voltado para micro, pequena e pequena-média empresas que atuem com soluções e produtos relacionados à contenção do coronavírus
Banco do Nordeste prepara linha de crédito voltada para serviços de saúde (Divulgação/Banco do Nordeste)

O Banco do Nordeste está preparando uma linha de crédito para financiar projetos de investimentos para a implantação, expansão e modernização da estrutura física de empresas do segmento da saúde humana. Intitulado FNE Saúde, o novo produto conta com o apoio da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene).

Através da linha de crédito, o banco pretende impulsionar o aumento da produção de itens e equipamentos vinculados ao setor, assim como ampliar a capacidade instalada de atendimento em toda a área de atuação, agregando melhorias na qualidade dos serviços prestados à sociedade.

Ginecologista explica mudanças no ciclo menstrual e responde perguntas

ANS faz acordo para melhorar atendimento de planos coletivos de saúde

O público-alvo da nova linha de crédito são prestadores de serviços de saúde, inclusive os de natureza filantrópica e sem fins lucrativos. O FNE Saúde utilizará recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste, principal funding do BNB. A linha foi estruturada seguindo as necessidades do mercado, assim como as prioridades do Plano Regional de Desenvolvimento do Nordeste (PRDNE - Sudene).

Os itens financiáveis incluem obras civis, máquinas e equipamentos, softwares, móveis e utensílios, veículos automotores, aquisição de unidades industriais, aeronaves para o transporte de enfermos, insumos, peças, componentes e produtos críticos para saúde, estudos e projetos de engenharia, treinamento, consultorias, serviços técnicos especializados e capital de giro associado.

Também podem ser enquadrados como projeto de saúde em inovação aqueles vinculados às atividades de pesquisa, desenvolvimento e inovação, nas seguintes linhas de atuação: biofármacos, farmoquímicos e medicamentos; equipamentos, materiais e dispositivos médicos; desenvolvimento de novas tecnologias de informação e comunicação (TIC) aplicadas na atenção à saúde à distância (telesaúde e telemedicina); e medicina regenerativa.