Polêmica

OAB vai apurar post de pastor que disse que gays não devem ir à igreja: "entender o lugar de cada um"

Homofobia pode ser enquadrada na lei do racismo

Equipe NE10 Interior
Equipe NE10 Interior
Publicado em 11/09/2020 às 15:23
NOTÍCIA
Reprodução/Redes sociais
FOTO: Reprodução/Redes sociais
Leitura:

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em Minas Gerais, através da Comissão de Diversidade e Gênero, disse nesta sexta-feira (11) que vai apurar uma postagem feita pelo pastor André Valadão, da Igreja Batista da Lagoinha, nas redes sociais.

O pastor, que também é cantor gospel, afirmou que gays não devem frequentar a igreja. O post foi feito na última terça-feira (8) e após a repercussão, foi excluído. André Valadão respondia a uma pergunta de um seguidor, que questionava se dois rapazes membros da igreja que estão namorando seriam expulsos.

"A igreja tem um princípio bíblico. E a prática homossexual é considerada pecado. Eles podem ir para um clube gay ou coisa assim. Mas, na igreja, não dá. Esta prática não condiz com a vida da igreja. Tem muitos lugares que gays podem viver sem qualquer forma de constrangimento. Mas na igreja é um lugar para quem quer viver princípios bíblicos. Não é sobre expulsar. É sobre entender o lugar de cada um", escreveu.

Homofobia é crime

Em junho do ano passado, o Supremo Tribunal Federal (STF) determinou que a discriminação por orientação sexual e identidade de gênero é crime. A homofobia é punida através da lei de racismo, crime considerado inafiançável e imprescritível.

Mais Lidas