Saúde

Especial Outubro Rosa da TV Jornal exalta importância da prevenção contra o câncer

Contando com participações especiais de especialistas, o programa do SJCC destacou tudo sobre a prevenção, o tratamento e a cura do câncer de mama

Pedro Augusto
Pedro Augusto
Publicado em 30/10/2020 às 14:47
NOTÍCIA
Reprodução/NE10 Interior
FOTO: Reprodução/NE10 Interior
Leitura:

A saúde de seus telespectadores sempre esteve em primeiro lugar para a TV Jornal Interior e no mês em que o Brasil esteve vivenciando o Outubro Rosa, a emissora do Sistema do Jornal do Commercio de Comunicação realizou uma série de reportagens sobre a campanha, que tem como principal objetivo chamar a atenção da população, especialmente às mulheres, no que se refere à importância de se intensificar a prevenção contra o câncer de mama.

E para fechar o ciclo de matérias de 2020 sobre o tema, na manhã desta sexta-feira (30), a TV Jornal Interior realizou o Especial Outubro Rosa. Com mais de uma hora de duração, o programa teve a apresentação da jornalista Izabela Barbosa, bem como ainda contou com as participações de mulheres que venceram este tipo de câncer, além de especialistas nas áreas da saúde e do direito.

Nele, histórias como as das guerreiras Marli Almeida e Maria dos Anjos, foram conhecidas fortalecendo ainda mais a esperança àquelas telespectadoras que se encontram atualmente lutando contra a doença, sem falar nas análises e informações relevantes repassadas por médicos e da advogada e jornalista Cacyone Gomes.

Depoimento

A campanha do Outubro Rosa nasceu, em 1997, nos Estados Unidos, com o objetivo de chamar a atenção das mulheres para a detecção precoce do câncer de mama. Ela foi adotada no Brasil, a partir de 2002 e desde então, tem sido realizada em todo o país, com o emprego de iniciativas por parte dos sistemas de saúde dos municípios, além do apoio da imprensa.

O foco principal ainda tem se referido ao alerta para a necessidade de se fazer o tradicional exame da mama. Procedimento este que foi feito em 2017 por Marli Almeida, que na época, descobriu que se encontrava com um nódulo maligno. Após várias sessões de quimioterapia e radioterapia, hoje, ela está em manutenção do tratamento e falou sobre a importância do Outubro Rosa.

“Esta campanha é essencial, porque contribui bastante para com a cura de milhares de mulheres diagnosticadas com o câncer de mama. Na medida em que elas têm a oportunidade de conhecer histórias como a nossa, que hoje se encontra na manutenção do tratamento, isso, as fortalece ainda mais para enfrentar a doença”.

Exame

O exame de mama é primordial para a detecção precoce da doença e o Ministério da Saúde vem chamando a atenção das mulheres para a sua realização, mesmo em tempos de pandemia do novo coronavírus. “Eles estão disponíveis em todos os postos de saúde do Brasil. Estamos vivenciando ainda uma pandemia, mas o alerta permanece para que as mulheres procurem uma unidade, caso percebam alguma alteração na mama. Elas estão funcionando!”, ressaltou no especial, a representante do Ministério da Saúde, Marília Gerlívia.

Entretanto, pelo menos no caso da costureira Betânia Maria da Silva, em 2020, ou seja, no ano da pandemia do novo coronavírus, a mamografia, até agora, não foi realizada, através dos SUS, pela unidade AME Mulher Caruaru. “Liguei para ela e fui informada de que não o serviço se encontra suspenso por tempo indeterminado. No ano passado, até que consegui, mesmo com o resultado saindo mais tarde”.

Direitos

Durante o especial Outubro Rosa da TV Jornal, os telespectadores tiveram oportunidade de acompanhar as informações da advogada e jornalista Cacyone Gomes, à respeito dos direitos das mulheres no tocante ao acesso de serviços de saúde, a exemplo do exame de mama. Na conversa com a apresentadora Izabela Barbosa, a especialista reiterou o oferecimento deste tipo de serviço de forma gratuita nas unidades de todo o país.

“É importante ressaltar que existem instituições que se encontram atentas para viabilizar o acesso de Justiça para essas mulheres que necessitam ser atendidas, como por exemplo, o Ministério Público. Inclusive, tive oportunidade de conversar nesta sexta-feira (30), com o procurador geral de Justiça, o Francisco Dirceu de Barros, que nos confirmou que durante a pandemia, os tratamentos foram mantidos, bem como os medicamentos foram distribuídos. Também é imprescindível se reiterar que, caso, as mulheres não consigam atendimento, as recomendações são: realizar denúncia no MP, procurar as secretarias de saúde de seus municípios e ainda acionar a Defensoria Pública. Vale relembrar ainda que o SUS, a partir do diagnóstico, tem 60 dias para viabilizar o tratamento contra a doença”, destacou Cacyone.

Prevenção

A descoberta precoce do câncer de mama é essencial para que as mulheres iniciem o tratamento o mais rápido possível e tenham mais chances de obter a cura. Foi o que ressaltou no Especial Outubro Rosa, o oncologista Selem Brandão. “Se você conseguir diagnosticar a doença no começo, você tem 90% de chances de cura. Em contrapartida, com o retardo no acesso ao diagnóstico e consequentemente à cadeia de procedimentos que necessitam ser realizados durante o tratamento, o número de mortes por câncer de mama aumentam no Brasil”.

Também convidada para o Especial, a médica mastologista e ginecologista Libelina Motta, destacou os cuidados a serem adotados na prevenção contra o câncer de mama. “Por conta da pandemia, muitas mulheres ficaram receosas de fazer a mamografia e percebemos certo crescimento no que diz respeito aos tumores das pacientes. O câncer de mama ainda é muito frequente no Brasil e precisamos adotar os cuidados necessários, não só durante o Outubro Rosa, mas o ano inteiro. O autoexame nas mamas deve ser feito de forma regular, bem como as mamografias”.

Mais Lidas