Apuração

Polícia investiga morte de jovem durante ação policial em Gravatá

Familiares e amigos fizeram protesto na noite de terça na BR-232

Equipe NE10 Interior
Equipe NE10 Interior
Publicado em 25/11/2020 às 16:40
NOTÍCIA
Reprodução/TV Jornal Interior
FOTO: Reprodução/TV Jornal Interior
Leitura:

A Polícia Civil está investigando um caso de tráfico de armas que terminou com uma morte em confronto policial em Gravatá, no Agreste de Pernambuco, na última segunda-feira (23). De acordo com a polícia, uma mulher havia saído de Petrolina, no Sertão, para fazer uma entrega de armas no Agreste. Policiais militares acompanharam a suspeita e identificaram o momento em que ela se encontrou com outros dois homens. Os suspeitos teriam reagido à abordagem policial e houve um confronto.

"As informações que até o momento nós temos confirmam que havia toda uma operação em curso. Essa mulher que foi presa veio de Petrolina para Caruaru inicialmente. Recebeu uma arma, essa arma foi apreendida na segunda-feira de manhã pela equipe de policiais militares e depois quando os PMs vieram na viatura e ela num Uber para se encontrarem com dois homens que estavam aguardando nas proximidades da Rodoviária. Quando os policiais foram fazer a abordagem para concluir a operação, que estava toda monitorada, houve um esboço de reação por parte dos ocupantes do carro. Por conta dessa reação, houve um cofronto e infelizmente um dos ocupantes do veículo veio falecer", relatou o delegado Paulo Ramé.

O homem morto foi identificado como Pedro Henrique de Araújo, 22 anos. O outro ocupante do carro ficou ferido, foi atendido em um hospital e liberado. Ele preferiu não falar com a polícia. A mulher também foi presa. No total, foram apreendidos dois revólveres calibre 38, e uma pistola, além de várias munições. O delegado informou que pelo menos um dos suspeitos tinha passagem pela polícia.

Porém, a família de Pedro Henrique reforça que o jovem nunca havia sido preso. Nessa terça (24), amigos e familiares realizaram um protesto na BR-232 para chamar a atenção para o caso. O corpo dele foi velado e será enterrado nesta quarta-feira (25).

"Ele era muito amado, era um menino bom, um filho excelente. Meu fiel companheiro, todo mundo gostava daquela criatura aqui dentro de Gravatá. Ele não tem passagem por polícia, ele não bebia, não fumava. Desde os 14 anos trabalhava para ter o que tem hoje em dia. Meu filho era um menino de boa conduta. Trabalhador, honesto, estudioso. Eu não vou deixar ninguém denegrir a imagem dele", disse a mãe, Ana Paula.

Mais Lidas