educação

Aulas presenciais da rede municipal de Caruaru não devem retornar em fevereiro

A secretária de Educação do município, Raquel de Oliveira, participou do programa Além da Notícia na Rádio Jornal Caruaru

NE10 Interior NE10 Interior
NE10 Interior
NE10 Interior
Publicado em 16/01/2021 às 12:27
NOTÍCIA
Reprodução/Rádio Jornal Caruaru
FOTO: Reprodução/Rádio Jornal Caruaru
Leitura:

Em entrevista realizada na última sexta-feira (16), a secretária de Educação de Caruaru, Raquel de Oliveira, falou ao programa Além da Notícia, na Rádio Jornal Caruaru, a respeito das aulas da rede municipal e do planejamento da secretaria diante da nova gestão da pasta.

Vacinação contra Covid-19 deve ter início na próxima semana em Caruaru

Durante a entrevista, a secretaria falou sobre os desafios da educação para 2021, sobre a expectativa para o momento pós pandemia e também sobre as dificuldades enfrentadas em 2020 no ensino remoto, tendo em vista a precariedade do acesso à internet no país. “Não temos como dizer hoje que temos conectividade para todos”, afirmou Raquel.

Aulas presenciais

A respeito do retorno das aulas presenciais, Raquel de Oliveira afirmou que as aulas não devem retornar no mês de fevereiro de forma totalmente presencial. "Nós vamos passar um ano de 2021 híbrido. Ainda vamos ter atividades remotas e vamos à escola, mas não quer dizer que todos vão à escola todos os dias, ao mesmo tempo", afirmou a secretária.

Raquel reforçou ainda que, para confirmar a decisão, precisa da confirmação do Conselho Estadual de Educação. Ela afirmou ainda que existe um protocolo do Conselho e o município aguarda uma data para colocar em prática a retomada das atividades conforme previsto pela gestão municipal.

Cartão alimentação

Sobre o cartão alimentação, Raquel confirmou que o programa de distribuição de alimentos para os alunos da rede municipal deve manter o formato durante a realização das aulas remotas. 

"Em situação remota, a alimentação do aluno, que seria feita na escola, será garantida. O que a gente têm hoje em meta pra continuar é a questão dos cartões, porque funcionou bem", afirmou. A secretária disse ainda que, de acordo com a decisão do Conselho Estadual de Educação, essa situação pode ser modificada.

Confira a entrevista completa

Mais Lidas