saúde

Ministério da Saúde consegue oxigênio para 61 bebês de Manaus

Os cilindros obtidos para os recém-nascidos são suficientes para 48 horas

Eduarda Cabral
Eduarda Cabral
Publicado em 16/01/2021 às 9:16
NOTÍCIA
Foto Ilustrativa/Michal Jarmoluk/Pixabay
FOTO: Foto Ilustrativa/Michal Jarmoluk/Pixabay
Leitura:

O Ministério da Saúde anunciou na última sexta-feira (15) que conseguiu cilindros de oxigênio para oferecer atendimento a 61 bebês prematuros que estão internados na cidade de Manaus, no Amazonas. A capital amazonense vive uma crise por causa da falta de oxigênio nos hospitais para tratamento dos pacientes.

Amazonas pede ajuda para transferir 60 bebês prematuros de Manaus

De acordo com o Ministério da Saúde, os cilindros obtidos devem ser necessários para o fornecimento durante 48 horas. Na sexta-feira, o Amazonas chegou a pedir ajuda a outros estados para realizar a transferência de alguns dos bebês para outras unidades de saúde.

Ainda segundo o Ministério da Saúde, outros estados e municípios conseguiram disponibilizar 56 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para os recém-nascidos. Mesmo com a ajuda, o governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), afirmou que a dificuldade está no transporte dos insumos.

“O nosso problema hoje não tem a ver com a falta de recursos ou falta do produto no mercado nacional, mas em fazer com que esse oxigênio chegue ao Amazonas. A maneira mais rápida de chegar é através de avião, mas as únicas aeronaves que podem fazer isso são da Força Aérea Brasileira, e mesmo assim ainda trazem pouca quantidade, em razão da sua capacidade e do risco que é o transporte desse produto”, disse o governador.

Avião que iria para a Índia

A aeronave que partiria na última sexta-feira (15) da cidade do Recife, em Pernambuco, em direção a Índia para buscar 2 milhões de doses da vacina conta a Covid-19, retornou para a cidade de Campinas, em São Paulo e deve levar cilindros de oxigênio para Manaus, no Amazonas.

“O voo será feito pela mesma aeronave que partiria hoje [esta sexta] para Mumbai, na Índia, uma vez que a missão terá seu início reprogramado enquanto às questões diplomáticas entre os dois países são resolvidas e as doses da vacina Astrazeneca/Oxford possam ser trazidas ao Brasil”, disse a Azul por meio de comunicado.

Mais Lidas