Fraude

PF realiza operação contra fraudes no pagamento do auxílio emergencial

Foram cumpridos 73 mandados de busca e apreensão em quatro estados.

NE10 Interior NE10 Interior
NE10 Interior
NE10 Interior
Publicado em 18/02/2021 às 15:05
NOTÍCIA
Marcelo Camargo/Agência Brasil
FOTO: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Leitura:

A Polícia Federal (PF) deflagrou, nesta quinta-feira (18) a 'Operação Terceira Parcela', com o objetivo de desarticular um grupo criminoso que estaria desviando recursos do auxílio emergencial. A operação conta com a participação de mais de 200 policiais, no cumprimento de 73 mandados de busca e apreensão em Minas Gerais, Bahia, Tocantins e Paraíba

Auxílio emergencial: Governo fará seleção prévia de quem receberá novas parcelas do benefício
Novo Auxílio Emergencial pode deixar de fora beneficiários do Bolsa Família; entenda
Governo estuda auxílio emergencial de R$ 250 por quatro meses

Ao todo, foram expedidos 66 mandados de busca e apreensão em 39 cidades de Minas Gerais. A polícia suspeita que os criminosos usavam os valores desviados para o pagamento de boletos. A investigação começou a partir de reclamações feitas na Caixa e o cruzamento de dados. 

A operação tem a colaboração de órgãos como Ministério Público Federal, Ministério da Cidadania, Caixa, Receita Federal, Controladoria-Geral da União e Tribunal de Contas da União. O objetivo principal é identificar fraudes massivas e desarticular organizações criminosas.

Fases da operação

No dia 10 de novembro a 'Operação Primeira Parcela' ocorreu nos estados da Bahia, São Paulo e Tocantins. Foram cumpridos 10 mandados de busca e apreensão e quatro pessoas foram presas. Somente em São Paulo, os prejuízos foram em torno de R$ 350 mil.

Um mês depois foi deflagrada a 'Operação Segunda Parcela', em 14 Estados: Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro, Paraíba, Espírito Santo, Bahia, Santa Catarina, Tocantins, Paraná, Goiás, Rio Grande do Sul, Maranhão, Piauí e Mato Grosso do Sul.

Foram cumpridos 42 Mandados de Busca e Apreensão, 13 Mandados de Sequestro de Bens e sete pessoas foram presas. Nesta etapa foram bloqueados cerca de R$ 650 mil, em diversas contas que receberam benefícios fraudados.

Mais Lidas