benefício

Quem está fora da prorrogação do Auxílio Emergencial? Entenda

Governo Federal utilizará critérios para realizar novos pagamentos do benefício.

NE10 Interior NE10 Interior
NE10 Interior
NE10 Interior
Publicado em 18/02/2021 às 12:32
NOTÍCIA
Marcello Casal Jr./ABr
FOTO: Marcello Casal Jr./ABr
Leitura:

A prorrogação dos pagamentos do Auxílio Emergencial contará com uma seleção feita pelo Governo Federal, que nos últimos 11 meses realizou um cruzamento de dados dos beneficiários e permitiu que o quantitativo fosse reduzido a aproximadamente 40 milhões de pessoas, quase metade dos aprovados em 2020.

CPF poderá indicar se você vai receber novo auxílio emergencial

O Governo poderá cruzar dados como como do Caged, MEI, INSS, e CNIS, para consultar o CPF do cidadão e saber se ele é militar, aposentado, servidor público, pensionista, empresário.

Retorno do Auxílio Emergencial deve ocorrer pela última vez, diz Bolsonaro

Os beneficiários que receberão as parcelas previstas para 2021 devem ser definidos a partir da análise realizada pelos órgãos governamentais. Confira algumas informações importantes:

Seleção prévia

Com previsão de retomada de pagamentos para março de 2021, o auxílio deve ser pago pelo Governo a partir de uma seleção prévia dos beneficiários que poderão receber esta nova rodada de pagamentos. O governo pretende passar um 'pente fino' antes de liberar os novos depósitos, de acordo com as informações.

Auxílio emergencial: Governo fará seleção prévia de quem receberá novas parcelas do benefício

Deve ser realizada uma seleção prévia com os beneficiários que se cadastraram e receberam os pagamentos em 2020.Sendo assim, não será necessário se inscrever novamente para receber o auxílio.

O Ministério da Cidadania já tem um banco de dados pronto e deve definir, a partir destes dados, quem tem direito a receber os novos pagamentos.

Restrições

A ideia de filtrar os beneficiários do auxílio emergencial, em relação aos recebedores de 2020, é uma grande aposta para manter o custo do programa sob controle. Além disso, a ideia é restringir a duração dos pagamentos por três ou quatro meses, supondo que neste período haverá a vacinação vai avançar e haverá queda no número de hospitalizações.

O Governo estuda focar em público mais específico, acima de 40 milhões, mas menor que os 67 milhões de pessoas do ano passado. O objetivo é fazer uma filtragem e direcionar o programa apenas à população mais pobre.

Servidores públicos

A continuidade do pagamento do auxílio emergencial com regras amplas pode levar a um congelamento dos salários dos servidores públicos federal por 3 anos. A medida é uma alternativa cogitada entre o Executivo e o Congresso para compensar o impacto do benefício nas contas públicas.

Regras do auxílio emergencial podem congelar salários de servidores por 3 anos

As decisões são influenciadas pelo aumento no endividamento do país. A dívida bruta chegou ao fim do ano passado em 89,3% do PIB e deve continuar subindo em 2021.

Valor e parcelas

O governo defende ainda um programa com custos mais contidos do que em 2020, em parcelas menores com valores entre R$ 250 e R$ 200. A ideia é de que o benefício seja pago em três ou quatro parcelas a partir de março de 2021.

Mais Lidas