Apelo

Governador da Bahia chora ao pedir cumprimento do isolamento social

Rui Costa se emocionou ao falar sobre o fechamento de comércios e pais que estão perdendo os filhos para a Covid-19.

NE10 Interior NE10 Interior
NE10 Interior
NE10 Interior
Publicado em 01/03/2021 às 14:38
NOTÍCIA
Reprodução/TV Globo
FOTO: Reprodução/TV Globo
Leitura:

O governador da Bahia, Rui Costa (PT), chorou durante uma entrevista ao vivo à TV Bahia, na manhã desta segunda-feira (1º) ao falar sobre a pandemia de Covid-19. As restrições das medidas de combate ao coronavírus começaram na sexta-feira (26) e foram prorrogadas até as 5h de quarta-feira (3).

Rui Costa comentou sobre o lockdown de 48 horas que foi determinado pelo governo em algumas regiões da Bahia. Ele disse que sente inveja de outros países, como China e Alemanha, onde a população cumpre as medidas de isolamento social.

“Eu espero que esse sufoco desses dias sirva para alertar aquelas pessoas que têm saído na rua sem máscara, que têm ido para festas e aglomeração. Eu quero que elas pensem”, disse o governador. Durante o período de restrição, apenas serviços essenciais podem funcionar na Bahia. 

O governador relatou ainda que antes de entrar ao vivo no jornal conversou com um pai que perdeu a filha para a Covid-19. "Temos que pensar quantas vidas humanas uma bebedeira vale. Quantas vidas humanas você vai ser responsável por ir em uma festa? 'Ah, eu tenho direito de ficar bêbado, de encher bares, de ir para paredão'. Seu direito é superior à dor de mães e pais que perderam filhos? Vi hoje um pai chorando porque perdeu a filha de 16 anos para a Covid-19, então... É isso”, disse com a voz embargada.

Ele tentou falar sobre o fechamento do comércio, mas voltou a se emocionar e pediu desculpas. “Não é fácil. É duro receber mensagens de pessoas que perguntam assim: ‘E o meu negócio? E a minha loja?’. O que é mais importante: 48 horas de uma loja funcionando, ou a vida? Desculpe, eu não consigo falar”, afirmou chorando.

“A emoção, de fato… Não é fácil e não gostaríamos de estar tomando decisões como essas. Gostaria sim, que todas as pessoas estivessem usando máscaras, mesmo aquelas que se consideram super homens, se consideram jovens. Se não for por eles, pelo menos que seja pelas mães, pelo pai, pela avó, pelo parente, pelo vizinho. Eu fico me perguntando se as pessoas sozinhas decretaram o fim da pandemia”, afirmou.

O governador também disse que "infelizmente o Brasil vai entrar para história dessa pandemia como o país que pior tratou dessa doença". Segundo Rui Costa, "os Estados Unidos eram o pior, mas mudou o presidente e hoje eles estão com 45 milhões de vacinados". 

De acordo com o consórcio de imprensa do qual o UOL faz parte, o Brasil vacinou 1,9 milhão de pessoas com a segunda dose, o que representa 0,91% da população. Já 6,5 milhões tomaram apenas a primeira dose, o que representa 3,11% da população

Assista a entrevista completa:

  

Mais Lidas