pandemia

Sindicato dos educadores pede suspensão das aulas presenciais em Pernambuco

"O que o Governo de Pernambuco está esperando? Mais contaminação?", diz o Sintepe por meio de nota.

NE10 Interior NE10 Interior
NE10 Interior
NE10 Interior
Publicado em 02/03/2021 às 12:26
NOTÍCIA
FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM
FOTO: FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM
Leitura:

O Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco (Sintepe) solicitou a suspensão imediata das aulas presenciais nas escolas de Ensino Médio da rede estadual do Estado nesta segunda-feira (1º). Nas escolas públicas, o ensino médio está com aulas presenciais, enquanto na rede privada o funcionamento segue normal do ensino infantil ao médio.

O pedido do Sintepe foi feito em virtude do aumento de casos de Covid-19 em Pernambuco e da adoção de novas restrições para conter a pandemia no Estado. “Agora, diversos órgãos do estado, do Judiciário, têm interrompido suas atividades por conta do pré-colapso vivenciado nos hospitais da rede pública e particular. Os Secretários Estaduais de Saúde, em nota conjunta, chamaram o atual quadro de “pior momento da crise sanitária provocada pela COVID-19?. O que o Governo de Pernambuco está esperando? Mais contaminação?”, questionam os educadores.

Em nota divulgada, os educadores fazem um apelo ao Governo de Pernambuco para que sejam adotadas medidas também para as unidades de ensino.

Veja a íntegra da nota do Sintepe:

A PANDEMIA PIOROU E AMEAÇA VIDAS NA EDUCAÇÃO

Diante do cenário de calamidade da pandemia da COVID-19, o Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco (Sintepe) exige novamente a interrupção imediata das atividades presenciais em toda rede estadual de ensino, nas escolas de Ensino Médio e demais locais de trabalho.

Para nosso espanto, o Governador de Pernambuco Paulo Câmara, ao mesmo tempo em que admite 93% dos leitos de UTI ocupados, não incluiu as aulas na rede estadual de ensino como atividades que deveriam ser interrompidas. Se “precisamos reduzir o contato social”, como diz o governador, é imperativo interromper as atividades presenciais na educação como forma de reduzir contágios, internamentos e mortes.

Essa é uma luta da nossa categoria desde outubro de 2020. Na Justiça, o governo conseguiu manter as atividades presenciais e o Sintepe foi multado por lutar pela vida. Desde então, denunciamos os recorrentes casos de contaminação e os alarmantes índices da COVID-19 em nosso estado. Temos uma ação tramitando no Tribunal de Justiça de Pernambuco, detalhando nossos motivos em defesa da vida e contra as atividades presenciais.

Agora, diversos órgãos do estado, do Judiciário, têm interrompido suas atividades por conta do pré-colapso vivenciado nos hospitais da rede pública e particular. Os Secretários Estaduais de Saúde, em nota conjunta, chamaram o atual quadro de “pior momento da crise sanitária provocada pela COVID-19”. O que o Governo de Pernambuco está esperando? Mais contaminação?

O Sintepe vem mais uma vez exigir a interrupção das atividades presenciais em toda a rede estadual, portanto continua na luta em defesa da vida dos trabalhadores e trabalhadoras em educação, dos estudantes e de toda comunidade escolar.

A DIREÇÃO

Mais Lidas