Saúde

Advogado alerta para "golpe da vacina" contra covid-19

Em entrevista à Rádio Jornal, Gabriel Tyles alertou para supostas simulações da aplicação da vacina

Samara Pontes
Samara Pontes
Publicado em 20/04/2021 às 12:35
NOTÍCIA
Bruno Campos/JC Imagem
FOTO: Bruno Campos/JC Imagem
Leitura:

Em entrevista ao programa Consultório dessa terça-feira (13), o advogado criminalista Gabriel Tyles alertou sobre o chamado "golpe da vacina". Pelo Brasil, algumas imagens de profissionais de saúde simulando a vacinação foram registradas. A conduta ilícita acendeu o alerta da população e o profissional explicou como identificar e denunciar os atos pela Rádio Jornal Garanhuns.

Com o processo de vacinação se espalhando pelo Brasil, alguns veículos de comunicação passaram a registrar denúncias de supostas simulações na aplicação do imunizante. Seringas secas sendo aplicadas ou até líquidos como soro fisiológico já foram registrados. O advogado alerta sobre a importância da denúncia: "Todos devem observar como o profissional aplica a vacina, de onde o material está sendo tirado e questionar, no ato, se houver alguma dúvida. Registros em fotos ou vídeos podem servir como prova. Se for notado que o paciente não recebeu a imunização de forma correta, a polícia deve ser acionada", alertou.

Tyles explica que o ato é um crime grave, um atentado à vida. Se o suposto imunizado tem certeza que recebeu suas doses, pode relaxar as medidas de prevenção em algum momento e se expor ao vírus. "Sob o aspecto criminal, a conduta do agente é considerada como crime de homicídio, previsto no artigo 121 do Código Penal, já que ele expõe a vida do outro a um risco iminente deixando o mesmo sem a devida proteção e assumindo o risco de matar. O crime também pode estar enquadrado no artigo 132, ou seja 'expor a vida ou saúde de outrem a perigo direto e iminente', mas este só se aplica se a conduta não constituir um crime mais grave", pontua o especialista. O crime de homicídio tem pena prevista de 06 a 20 anos de prisão.

Quem perceber algum problema no momento da aplicação da vacina deve procurar a polícia e denunciar. Condutas do tipo devem ser informadas para que haja a devida investigação e consequente punição dos responsáveis. A entrevista completa com outras informações está disponível no Facebook Rádio Jornal Garanhuns.

Veja a entrevista:

Mais Lidas