Pandemia

Raquel Lyra realiza reunião com ministro da saúde, Marcelo Queiroga, para solicitar mais vacinas para o Agreste

Ministro anunciou a distribuição de nove concentrados de oxigênio para Caruaru.

NE10 Interior NE10 Interior
NE10 Interior
NE10 Interior
Publicado em 30/05/2021 às 11:49
NOTÍCIA
Reprodução/Divulgação Prefeitura de Caruaru
FOTO: Reprodução/Divulgação Prefeitura de Caruaru
Leitura:

Na manhã deste domingo (30), o ministro da saúde, Marcelo Queiroga se reuniu com a prefeita de Caruaru, no Agreste de Pernambuco, Raquel Lyra e com o secretário de saúde do município, Breno Feitoza. O objetivo da reunião foi de acompanhar como está a situação de Caruaru em relação ao combate da pandemia no município, além de tratar a possibilidade de mais vacinas para a cidade. 

Durante a ocasião o ministro anunciou a distribuição de nove concentrados de oxigênio para Caruaru, para ajudar o município no enfrentamento a Covid-19. Na última semana, o Governo de Pernambuco anunciou que o Agreste está em alerta máximo pelo aumento de casos e de procura por leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTI).

Por conta desse aumento, a prefeita Raquel Lyra, reforçou que está sendo feito um estudo para observar se existe uma nova variante no Agreste. "Iniciamos um estudo para poder entender se existe algum tipo de variante no Agreste que justifique esse crescimento, superlotando as unidades de saúde. Dessa forma, poderemos fundamentar a solicitação ao ministério por mais vacinas, com base nesse estudo", explicou Raquel. 

Em uma coletiva de imprensa após a reunião, o ministro da saúde, falou sobre a solicitação da prefeita e que o pedido será analisado pelo Plano Nacional de Imunização (PNI). Além disso, Marcelo Queiroga, afirmou que o ministério garantirá 40 milhos de doses no mês de junho. De acordo com ele, a distribuição colocará o Brasil entre os países que mais distribui doses de vacina.

"Independente dessa demanda específica da prefeita, o mês de junho é o mês que já temos garantidos mais de 40 milhões de vacinas. Esse mês também vamos atingir uma marca importante que é a distribuição de 100 milhões de doses de vacina para o Brasil inteiro na próxima semana", disse o ministro.

Visitas em hospitais do Agreste 

Marcelo Queiroga também falou sobre as visitas técnicas realizadas na noite de sábado (29), nos hospitais de Gravatá e Bezerros, no Agreste de Pernambuco. Segundo o ministro, é perceptível o esforço das autoridades de saúde e dos municípios para a normalização de casos. 

> Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, realiza visita técnica a unidades de saúde do Agreste de Pernambuco

"Constatamos uma normalidade na assistência, que é fruto de um esforço conjunto das autoridades sanitárias do Estado de Pernambuco, dos municípios e dos profissionais de saúde: médicos, enfermeiros, fisioterapeutas. É hora de união para enfrentar nosso único inimigo que é o vírus. 

Perguntado sobre um possível colapso de oxigênio no Agreste, o ministro afirmou que está sendo feito um trabalho para que não haja falta de oxigênio no Estado. "Lidamos com a imprevisibilidade biológica, está em estudo uma variante que pode ter um comportamento diferente que leve a uma pressão maior para o sistema de saúde, mas as autoridades sanitárias estão empenhadas para que não aconteça falta de oxigênio", disse. 

Distribuição de Oxigênio em Caruaru 

Na última semana, mais de 33 municípios do Agreste estão em situação de risco de desabastecimento de oxigênio. No entanto, durante a a visita técnica aos hospitais da região, o secretário de saúde do Estado e o ministro da saúde, reforçaram que não há falta de oxigênio. 

> Mais de 33 municípios do Agreste estão em situação de risco de desabastecimento de oxigênio

"É preciso que fique bem claro para a população, nós não temos um problema de fornecimento de oxigênio. Visitamos a fábrica White Martins, que tem capacidade abastecer todo o estado. O que acontece é que em municípios menores, não existem os tanques criogênicos que armazenam o oxigênio em grandes quantidades", disse André Longo durante a visita técnica em Gravatá. 

De acordo com o ministro, Marcelo Queiroga, o oxigênio é distribuído na forma líquida. Nesse caso, os hospitais que são mais equipados dispõe de tanques que guardam esse oxigênio. Mas existem outros em que oxigênio só é possível de ser ofertado com o cilindros. 

> Município do interior de PE enfrenta crise com falta de oxigênio e transfere pacientes para outras cidades

"O oxigênio pode ser distribuído na forma líquida em tanques criogênicos, esse é o caso de Caruaru, que possui esses tanques capazes de armazenar grandes quantidades de oxigênio. Nos demais municípios, o abastecimento é feito por cilindros e a uma carência de cilindros. Mas estamos apoiando as secretarias municipais e estadual para que não haja falta desse insumo", afirmou o ministro. 

Marcelo Queiroga também reforçou que será distribuído mais concentradores no Agreste. No nordeste, há previão para distribuição de 1700 concentradores que ajudaram no enfrentamento a pandemia. 

São João do Nordeste

O ministro do turismo, Gilson Machado esteve presente na comitiva que visitou os hospitais do Agreste, e esteve presente na reunião com Raquel Lyra na manhã deste domingo. Na noite do sábado (29), o ministro falou sobre as ações que estão sendo feitas para diminuir o impacto da pandemia em profissionais do setor da cultura, principalmente músicos que fazem parte do ciclo junino. 

"Nós estamos fazendo um aporte junto com a Lei Aldir Branc e socorrendo o setor artístico. Estamos fazendo várias medidas com o Fungetur. Além disso estamos correndo através do ministério da Saúde com a vacinação, porque só com a vacinação é que conseguiremos voltar com o setor de eventos", explicou. 

Na sexta-feira (28), Paulo Câmara anunciou um auxílio emergencial para artistas que ficarão sem trabalhar no São João de Pernambuco. O projeto de Lei do Auxílio Emergencial Ciclo Junino de Pernambuco, que tem como objetivo conceder apoio financeiro a artistas e grupos culturais que integram a tradição junina do Estado e estão impedidos de promover suas atividades em 2021 em virtude da pandemia da Covid-19. 

Mais Lidas