Investigação

Grávida e a família dormem dentro de carro em frente a sede da força-tarefa com medo de Lázaro

Família com seis pessoas moravam na zona rural mas saíram as pressas com medo de do criminoso

NE10 Interior NE10 Interior
NE10 Interior
NE10 Interior
Publicado em 20/06/2021 às 15:56
NOTÍCIA
Reprodução
FOTO: Reprodução
Leitura:

Uma família com seis pessoas, entre elas uma mulher grávida, dormiram dentro de um carro na frente da sede da força-tarefa montada em Cocalzinho de Goiás, por medo de Lázaro Barbosa, chamado de "serial killer de Brasília", suspeito de fazer uma chacina em Ceilândia, no DF. 

O caseiro Manoel de Oliveira conta que deixou a propriedade onde mora, na zona rural, para dormir dentro do veículo com os quatro filhos e a esposa grávida de seis meses, com medo do criminoso. Em uma entrevista à TV Anhanguera, ele disse que não esperaria a "mote bater na porta". 

A esposa dele, Jorlene Costa, conta que outros vizinhos também tem feito o mesmo, deixado suas casas na zona rural e indo para a cidade, por se sentirem mais seguros. "Eu prefiro dormir no carro a ver um filho meu morto", afirmou a mulher à TV Anhanguera.

Quem é Lázaro Barbosa?

Lázaro está sendo procurado há 12 dias. Mais de 270 policiais procuraram pelo fugitivo que é acusado de pela morte de quatro pessoas da mesma família, roubo, sequestro, invasão de propriedade, estupro, entre outros crimes. 

Estão sendo usados policiais do DF e de Goiás, helicópteros, cães farejadores e até homens da Força Nacional estão à caça de Lázaro, que é o homem mais procurado no Brasil. Em uma entrevista dada no sábado (19), o secretário de Segurança Pública de Goiás (GO), Rodney Miranda, disse que esperava que até o fim do dia Lázaro Barbosa seja capturado. No entanto o homem continua a solta.

Linha do tempo da fuga de Lázaro Barbosa

Dia 1 - Na quarta-feira (9), ele cometeu o assassinato de uma família em Ceilândia.

Dia 2 - Na manhã do dia seguinte, quinta-feira (10), o homem invadiu uma casa que fica a 3 km do local onde o caso aconteceu. De acordo com o Correio Braziliense, ele fez a proprietária da chácara, Sílvia Campos, de 40 anos, e o caseiro, identificado como Anderson, de 18 anos, de refém por 3 horas. No local, ele ainda teria obrigado os dois a fumarem maconha. Antes de fugir, roubou R$ 200, uma jaqueta, celulares e carregador.

Dia 3 - No terceiro dia de fuga, Lázaro fez mais um refém e roubou um carro em Ceilândia. Com o veículo, ele se dirigiu a Cocalzinho, em Goiás, onde abandonou e incendiou o carro. As investigações apontam que lá, ele se encontrou com um comparsa, que o ofereceu suporte.

Dia 4 - No sábado (12), ele teria feito o caseiro de uma chácara, próxima à Lagoa Samuel, de refém e passou a tarde bebendo e se divertindo em uma chácara. O serial killer também o obrigou a fumar maconha. Antes de fugir novamente, Lázaro destruiu o carro da vítima. Após deixar essa casa, ele foi para outra chácara, onde baleou três homens e roubou duas armas de fogo.

Dia 5 - Na tarde do domingo (13), o foragido furtou um outro carro, também em Cocalzinho (GO), e abandonou o veículo, após avistar um ponto de bloqueio montado pela polícia.

Dia 6 - Na segunda-feira (14), Lázaro foi visto no curral de uma fazenda entre os distritos de Edelândia e Girassol. A polícia acredita que ele passou a noite no local. Segundo o caseiro da fazenda, o homem pediu comida e em seguida fugiu para a mata.

Dia 7 - Na terça-feira (15), após ser cercado por policiais, ele atirou contra um deles e o deixou ferido no rosto. No momento do tiroteio, ele fazia três pessoas reféns, um casal e a filha de 16 anos. Apesar da presença da polícia, Lázaro conseguiu fugir. As investigações policiais continuam e podem apontar para outros delitos.

Dia 8 - Na quarta (16), durante a madrugada, Lázaro invadiu uma fazenda, preparou comida e fugiu novamente. A propriedade rural fica localizada a cerca de 8 km de distância da cidade de Edilândia, em Goiás, onde ele foi visto na terça-feira (15).

Dia 9 - Na quinta-feira (17), na madrugada a polícia seguiu à procura dele, no povoado de Girassol, em Goiás. Ele conseguiu escapar de uma força-tarefa formada por mais de 200 policiais. As equipes policiais fizeram buscas durante toda a madrugada. A Polícia Militar de Goiás chegou à zona rural de Cocalzinho de Goiás, que fica a 120 quilômetros de Brasília, para reforçar as buscas. Drones da Receita Federal e até um helicóptero foi usado para tentar encontra-lo.

Dia 10 - O secretário de Segurança Pública de Goiás, Rodney Miranda, disse na noite da sexta-feira (18) que acredita ter avistado Lázaro Barbosa, 32 anos, em um vale. À tarde, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) tinha dito que ele esteve em um chiqueiro e fugiu novamente em meio à vegetação.

Dia 11 - Ainda na sexta-feira (18), uma moradora deu uma pista sobre onde ele estaria se escondendo. No sábado (19), policiais montaram um cerco para prender o "serial killer de Brasília", mas até este domingo (20) ele ainda não foi encontrado. 

*Com informações do G1

Mais Lidas