menu

Casos de coronavírus em profissionais de saúde chegam a 377 em Pernambuco

Mais de 1 mil profissionais de saúde com sintomas de gripe estão sendo testados

Médicos contratados pela Prefeitura do Recife vão atuar nos hospitais de campanha
Médicos contratados pela Prefeitura do Recife vão atuar nos hospitais de campanha (Divulgação PCR / Andrea Rego Barros)

O número de profissionais de saúde com diagnóstico positivo do novo coronavírus (covid-19) chegou a 377 em Pernambuco. Ao todo, foram 1.120 casos notificados (juntando suspeitos, confirmados e descartados). Destes, 600 já foram testados. Além das confirmações, 247 foram descartados.

Outros 520 profissionais de saúde que apresentaram sintomas de gripe ainda deverão passar pelos exames. As testagens abrangem os profissionais de todas as unidades de saúde, tanto da rede pública como da privada. De acordo com a SES, Pernambuco foi o primeiro estado brasileiro a criar um protocolo para testar os trabalhadores da saúde.

Boletim

A quantidade total de casos de coronavírus no Estado chegou a 1.154 nesta segunda-feira (13), de acordo com boletim epidemiológico da SES-PE. Já as mortes subiram para 102. Nesse domingo (12), completou um mês que o primeiro caso foi confirmado no Estado. Há 57 pacientes recuperados da doença.

Sintomas e prevenção

A Covid-19 é similar a uma gripe e é transmitido pela saliva, espirro, tosse ou aperto de mãos. Os sintomas do coronavírus são febre, tosse e falta de ar. Caso apresente os sintomas, a orientação é ligar 136 ou procurar uma unidade de saúde na sua cidade.

Prevenção

A melhor forma de prevenir o novo coronavírus e outras doenças respiratórias é tomando algumas atitudes como: lavar bem as mãos frequentemente com água e sabão; utilizar álcool em gel 70% para higienizar as mãos caso não possa lavá-las; cobrir o nariz e a boca com um lenço descartável ao espirrar e tossir; usar o ombro ou braço para cobrir o espirro e a tosse; evitar tocar os olhos, nariz e boca quando as mãos não estiverem limpas; não compartilhar alimentos e objetos de uso pessoal como talheres, pratos, copos e garrafas; higienizar aparelhos celulares, tablets e controles remotos; manter ambientes bem ventilados, com portas e janelas abertas. Caso já esteja doente, evite locais fechados com muitas pessoas e o contato com idosos, gestantes e doentes crônicos.

Confira a forma correta de lavar as mãos, indicada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa):

1. Abra a torneira e molhe as mãos, evitando encostar na pia;
2. Aplique na palma da mão a quantidade suficiente de sabonete líquido para cobrir todas as superfícies das mãos;
3. Ensaboe as palmas das mãos, friccionando-as entre si;
4. Esfregue a palma da mão direita contra o dorso da mão esquerda (e vice-versa), entrelaçando os dedos;
5. Entrelace os dedos e friccione os espaços interdigitais;
6. Esfregue o dorso dos dedos de uma mão com a palma da mão oposta (e vice-versa), segurando os dedos, com o movimento de vai-e-vem;
7. Esfregue o polegar direito, com o auxílio da palma da mão esquerda (e vice-versa), utilizando movimento circular;
8. Friccione as polpas digitais e unhas da mão esquerda contra a palma da mão direita, fechada em concha (e vice-versa), fazendo movimento circular;
9. Esfregue o punho esquerdo, com o auxílio da palma da mão direita (e vice-versa), utilizando movimento circular;
10. Enxágue as mãos, retirando os resíduos de sabonete. Evite contato direto das mãos ensaboadas com a torneira;
11. Seque as mãos com papel toalha descartável, iniciando pelas mãos e seguindo pelos punhos.
*Para a técnica de higienização anti-séptica das mãos, seguir os mesmos passos e substituir o sabonete líquido comum por um associado a anti-séptico