Fim do calendário

Saque do auxílio emergencial é liberado para todos os aprovados

Segunda parcela pode ser retirada independentemente do mês de aniversário

Ana Maria Santiago de Miranda
Ana Maria Santiago de Miranda
Publicado em 15/06/2020 às 11:20
NOTÍCIA
Tião Siqueira/ JC Imagem
FOTO: Tião Siqueira/ JC Imagem
Leitura:

O saque da segunda parcela do auxílio emergencial poderá ser realizado a partir desta segunda-feira (15) por todas as pessoas que foram aprovadas e ainda não realizaram a operação.

Desta forma, independentemente do mês de aniversário do beneficiário, é possível fazer o saque dos R$ 600 ou R$ 1.200 (para mães solteiras) das contas.

Auxílio emergencial: veja como usar o Caixa Tem para movimentar o dinheiro

Saque emergencial do FGTS: saiba se você tem direito aos R$ 1.045 e quando vai receber

As pessoas que indicaram contas de bancos privados no momento da solicitação do benefício tiveram os valores transferidos automaticamente para estas.

A Caixa Econômica Federal informou que mais de 50 bancos estão envolvidos na operação de pagamento do auxílio emergencial.

No último sábado, a Caixa encerrou o calendário de pagamento da segunda parcela do benefício. Vale lembrar que estas datas são para o primeiro lote de aprovados. Quem recebeu a primeira parcela do auxílio após o dia 30 de abril deve aguardar a liberação do calendário de pagamento para este grupo.

Terceira parcela

Os beneficiários que já receberam a segunda parcela aguardam agora a divulgação do calendário da terceira. O presidente da República, Jair Bolsonaro, sinalizou, através de uma live nas redes sociais, que o Governo Federal deve divulgar o calendário esta semana.

Primeira parcela

Caixa irá creditar na próxima terça-feira (16) e quarta-feira (17) o pagamento da primeira parcela do auxílio emergencial para novos aprovados. Serão 4,9 milhões de beneficiários neste lote, um total de R$ 3,2 bilhões injetados na economia.

Parcelas extras

O Governo Federal já confirmou a intenção de pagar mais duas parcelas do auxílio emergencial. Entretanto, o valor deve ser cortado pela metade, ou seja, R$ 300. A lei aprovada em abril para conceder o auxílio previa duração de três meses (três parcelas). Por isso, é necessária a aprovação do Congresso para pagar mais duas parcelas.

Bolsonaro, porém, alertou que caso o Congresso queira manter o valor de R$ 600, irá vetar a prorrogação, pois o Governo não teria recursos para tal. Quase 60 milhões de pessoas estão inscritas no programa do auxílio emergencial.

Mais Lidas