Expectativa

Academias, bares e restaurantes se preparam para volta às atividades em Caruaru

Estabelecimentos tomam medidas de prevenção contra o novo coronavírus

Ana Maria Santiago de Miranda
Ana Maria Santiago de Miranda
Publicado em 22/07/2020 às 15:14
NOTÍCIA
Reprodução/TV Jornal Interior
FOTO: Reprodução/TV Jornal Interior
Leitura:

As academias, bares e restaurantes ainda não foram autorizados a reabrir no Agreste de Pernambuco, mas em Caruaru, os estabelecimentos já estão se preparando para receber os clientes.

Na academia Gymbox, o espaço foi ampliado para que as máquinas fiquem em uma distância segura umas das outras. Também foi instalada uma proteção acrílica para separar os alunos.

A academia será higienizada duas vezes por dia, e os alunos terão produtos à disposição para uso nas máquinas. Para treinar, será preciso usar máscara. Haverá ainda um controle do número de pessoas treinando por horário, com a ajuda de um aplicativo.

"Tudo o que foi determinado pelos órgãos responsáveis a gente vai cumprir, e além disso a gente criou um regimento interno, com alguns processos dentro da academia, para manter ainda mais a segurança dos alunos", explicou o coordenador técnico da academia, Lucas Campos.

Bares e restaurantes

Já os bares e restaurantes poderão atuar com 50% da capacidade. As mesas também devem ficar a uma distância segura. O álcool em gel será disponibilizado para os clientes.

"Eu acredito que o governo libere no dia 3 de agosto para nós. Esperamos que isso aconteça realmente, porque nós não não suportamos mais tanto tempo fechados, já se vão mais de 120 dias. Estamos preparados, já nos reunimos para tomar as providências necessárias, fazer cumprir a determinação do governo, da OMS, para que nosso cliente se sinta seguro", disse o empresário Pedro Manoel, do Boteco Paulistano.

No restaurante Boi e Brasa, a equipe de funcionários ficará protegida com face shields. Alguns ajustes também estão sendo realizados no espaço.

"A gente está bem preparado para atender e esperamos que o público perca o medo, que a churrascaria possa oferecer segurança para que possa voltar à vida normal, ou o novo normal, como está sendo chamado", disse o empresário César Ongaratto.

Mais Lidas