Educação

Justiça suspende retorno de aulas presenciais também nas escolas da rede pública de Pernambuco

Aulas estão suspensas desde março por causa da pandemia do coronavírus

NE10 Interior NE10 Interior
NE10 Interior
NE10 Interior
Publicado em 06/10/2020 às 11:21
NOTÍCIA
Felipe Ribeiro/ JC Imagem
FOTO: Felipe Ribeiro/ JC Imagem
Leitura:

O juiz da 5ª Vara da Fazenda Pública da Capital, Augusto Napoleão Sampaio Angelim, determinou a suspensão do retorno das aulas presenciais das escolas da rede estadual de Pernambuco. A decisão foi proferida na manhã desta terça-feira (6). As aulas presenciais estão suspensas desde março por conta da pandemia do coronavírus (covid-19).

O juiz acatou os argumentos do Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco (Sintepe). A decisão deve ter duração “até que se adotem as medidas necessárias para garantir o direito à saúde dos profissionais de educação, inclusive com a criação de uma Comissão Setorial”.

O magistrado levou em consideração o aumento de casos no Amazonas após o retorno das aulas presenciais: "dado o ocorrido no Estado do Amazonas e o que se noticia a respeito do aumento de casos na França, após o retorno das aulas presenciais, consoante publicado na imprensa, é inegável o perigo de dano irreparável à vida dos trabalhadores em educação e de seus familiares. Assim, urge, o deferimento da liminar, mesmo em questão complexa como a dos autos, inclusive por considerar que não há perigo de irreversibilidade e o contrário, ou seja, o retorno às aulas na data de hoje, poderá causar danos irreversíveis."

> Justiça do Trabalho suspende retomada de aulas presenciais da rede privada de Pernambuco

Os professores da rede estadual decidiram deflagrar a greve durante uma assembleia na tarde dessa segunda-feira (5). Mais uma assembleia foi marcada para esta quinta-feira (8).

Veja:

 

Suspensão nas escolas privadas

As aulas presenciais nas escolas da rede particular não serão retomadas nesta terça-feira (6). A determinação foi da Justiça do Trabalho. Na tarde dessa segunda-feira (5), o Sindicato dos Professores da Rede Privada (Sinpro) conseguiu uma liminar na Justiça para suspender a reabertura das escolas particulares. A decisão é do juiz Hugo Cavalcanti Melo Filho.

Mais Lidas