Educação

Donos de escolas pretendem protestar por volta às aulas do ensino infantil e fundamental em PE

Liberação das atividades presenciais ainda não foi permitida

NE10 Interior NE10 Interior
NE10 Interior
NE10 Interior
Publicado em 20/10/2020 às 12:09
NOTÍCIA
YACY RIBEIRO/JC IMAGEM
FOTO: YACY RIBEIRO/JC IMAGEM
Leitura:

Os donos de escolas particulares de Pernambuco estão pensando em fazer um novo protesto para pedir a liberação das aulas presenciais para a educação infantil e o ensino fundamental ao Governo estadual. O decreto que suspendia as aulas desde março no estado por causa da pandemia do coronavírus expirou nessa segunda-feira (19) e foi estendido até 31 de outubro.

A decisão foi divulgada no início na noite da segunda, através de uma nota. De acordo com o comunicado do governo estadual: "O Governo de Pernambuco, por meio do Gabinete de Enfrentamento à covid-19, decidiu prorrogar até o dia 31 de outubro a suspensão das aulas presenciais do Ensino Fundamental e Educação Infantil em todo o Estado".

Os alunos do ensino médio foram os únicos liberados a voltarem às aulas presenciais. O primeiro ano do ensino médio volta nesta terça-feira (20) para as escolas.

> Aulas presenciais da educação infantil e ensino fundamental continuam suspensas em Pernambuco

"Quando todos os indicadores da covid-19 apontam para queda em Pernambuco, o governo divulga uma nota simplesmente informando a manutenção do decreto. Sem justificar a decisão com questões técnicas ou científicas, o que mostra falta de argumentos. Nenhuma explicação. Os sentimentos são de frustração e incredulidade", disse o presidente do Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino de Pernambuco (Sinepe), José Ricardo Diniz.

Assembleia

Será realizada uma assembleia com os donos das escolas nesta terça-feira (20). De acordo com José Ricardo, deverão ser definidos que rumos tomar e também pode ocorrer um novo protesto. "Definiremos que rumos vamos tomar. Pode haver uma nova manifestação, agora com mais adesão das famílias que defendem o retorno do ensino presencial", disse.

Mais Lidas