Votação

Nova Zelândia aprova eutanásia em consulta popular

Cerca de 65,2% dos eleitores votaram a favor

Ana Maria Santiago de Miranda
Ana Maria Santiago de Miranda
Publicado em 30/10/2020 às 15:25
NOTÍCIA
Pixabay
FOTO: Pixabay
Leitura:

A Nova Zelândia aprovou nesta sexta-feira (30), através de um referendo, a prática da eutanásia. De acordo com os números apurados, os que votaram a favor somam 65,2%. O país irá permitir a morte assistida para pacientes terminais adultos com menos de seis meses de vida restantes. A Nova Zelândia é o primeiro país em todo o mundo a aprovar a prática através de consulta popular.

Além da idade acima de 18 anos, os pacientes precisam contar com a aprovação de dois médicos para poder requerer a eutanásia. A lei foi aprovada em 13 de novembro do ano passado no Parlamento, e deve entrar em vigor em novembro de 2021.

A lei prevê que os médicos administrem um medicamento letal em adultos que sejam vítimas de uma doença terminal que lhes cause "sofrimento insuportável". É preciso que o pacinte tenha feito o pedido de forma voluntária e consciente.

Os que votaram contra a eutanásia somam 33,8%, e muitos deles acreditam que a lei não oferece formas suficientes para evitar pressões contra os doentes ou tempo suficiente para refletir sofre a tomada de decisões. A Associação Médica da Nova Zelândia considera a proposta antiética e se opôs à legalização.

Outros países

A eutanásia é legalizada na Holanda, Bélgica, Luxemburgo, Colômbia e Canadá, assim como em alguns estados dos Estados Unidos e em um estado da Austrália. Em outros países há ainda o suicídio assistido, no qual o próprio paciente faz a administração do medicamento.

*Com informações do DW

Mais Lidas